15 de Janeiro de 2020, atualizado ás 11:01

7 mil militares vão reforçar atendimento no INSS para acabar com atrasos

Por: | Notícias


O INSS divulgou na terça-feira (14), por meio da Secretaria de Previdência e Trabalho, que 7 mil militares da reserva vão reforçar o atendimento no INSS.

O motivo é o atraso nos pedidos de aposentadoria, pensão e benefícios que estão atrasados á mais de 45 dias que seria o prazo máximo para que o INSS resolvesse os casos.

Hoje cerca de 2 milhões de pessoas aguardam os pedidos de aposentadoria, e segundo o governo, a medida tem como objetivo solucionar o problema dos atrasos até setembro 2020.

O governo também quer restringir a cessão de servidores do INSS a outros órgãos, e instalar uma força-tarefa para a perícia dos 1.514 servidores que estão afastados do instituto. O anúncio foi feito após reunião do ministro da Economia, Paulo Guedes, com Marinho e a equipe econômica nesta segunda (13).

7 mil militares vão reforçar atendimento no INSS para acabar com atrasos – Foto: Reprodução

Segundo o governo, o decreto que ainda será publicado com essa medida de urgência vai incluir medidas de desburocratização do atendimento do INSS, como o fim da obrigação em autenticar documentos e atualizar certidões ao longo da tramitação.

Hoje, 7.820 servidores do INSS fazem a análise de documentos para a concessão de benefícios. Com a chegada dos militares, funcionários do INSS devem sair do atendimento e reforçar a análise. A expectativa é que o número de analistas chegue a 10 mil.

Essa demora na analise dos processos de deve, conforma informado pelo INSS pela grande procura ocorrida em 2019 com as mudanças na regra da Previdência.

Com isso, muitas pessoas deram entrada no pedido de aposentadoria, congestionando o sistema.




Raquel Luciano

Jornalista com experiência na produção de conteúdo para diversos canais de informação espalhados pelo Brasil. E-mail: rachell.luciano@gmail.com

     

0 Comentários