Augusto Aras, procurador-geral da República, solicitou ao Ministério Público do Distrito Federal a apuração das agressões a profissionais da imprensa. Ocorridas durante uma manifestações com ideias antidemocráticas e inconstitucionais, realizada em Brasília, e que contou com a participação de Jair Bolsonaro.

Inicialmente, o presidente Jair Bolsonaro chegou a participar do ato, no qual cumprimentou apoiadores. Na ocasião, os manifestantes defendiam o fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal – STF, pediam por intervenção militar e ainda criticavam o ex-ministro Sérgio Moro.


RELACIONADAS



Portanto, o Chefe do Ministério Público Federal encaminhou ofício ao MP distrital entendendo que não é adequada uma investigação por parte da PGR, visto que não há pessoas com foro privilegiado envolvidas no ato das agressões.

Loading...

De acordo com Augusto Aras: “Tais eventos, no entender deste procurador-geral da República, são dotados de elevada gravidade, considerada a dimensão constitucional da liberdade de imprensa, elemento integrante do núcleo fundamental do Estado Democrático de Direito”.

Entenda mais sobre as agressões durante o ato com Bolsonaro

Agressão a equipes de reportagem em ato com Bolsonaro serão apuradas
Agressão a equipes de reportagem em ato com Bolsonaro serão apuradas – Foto: O Globo


Primeiramente, durante a cobertura do ato em apoio ao governo do presidente Jair Bolsonaro, em frente ao Palácio do Planalto, profissionais de imprensa foram agredidos. Além disso, o protesto defendiam pautas antidemocráticas e inconstitucionais.

Loading...

Portanto, A equipe do jornal “O Estado de São Paulo” sofreu ataque com chutes, murros, empurrões e rasteiras, segundo informações do G1. 

Contudo, jornalistas de vários veículos sofreram agressão e foram hostilizados durante o ato, pelos participantes do evento. Um jornalista, que trabalhava dando apoio à equipe de reportagem do “Estadão”, levou uma rasteira. Já o fotógrafo Dida Sampaio, funcionário do mesmo jornal, foi empurrado e sofreu chutes e murros.

Por fim, no total, um fotógrafo, dois jornalistas e o motorista do jornal foram hostilizados e agredidos, de forma verbal ou física. De acordo com o veículo, eles foram para uma área segura, solicitaram auxílio da Polícia Militar e estão bem.

Loading...

Loading...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui