Ex-Ministro Antonio Palocci delata Lula para Sergio Moro

Ex-Ministro Antonio Palocci delata Lula para Sergio Moro: De acordo com o ex-ministro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tinha um pacto de sangue com a empresa  Odebrecht. Antônio Palocci afirma que ele e Lula  realmente tentaram interferir nas investigações da da operação Lava Jato.

Após décadas como membro do PT, o ex-ministro Palocci quebrou o silêncio nesta quarta-feira (6), na presença do juiz Moro. De forma direta, o antigo aliado de Lula acusou o ex-presidente: Disse Palocci; ele possuía um pacto de sangue com a empresa Odebrecht e por isso recebeu um pacote de propina do qual fez parte o terreno do Instituto Lula, assim como o sítio em Atibaia, palestras que tiveram cachês de R$ 200 mil cada, e R$ 150 milhões para as campanhas do ex-presidente.

Entenda como Antonio Palocci delata Lula para Sergio Moro

Ex-Ministro Antonio Palocci delata lula para Sergio Moro
Ex-Ministro Antonio Palocci delata lula para Sergio Moro (Imagem: Reprodução Internet)

Segundo o ex-ministro, todo esse dinheiro veio de corrupção através de contratos superfaturados com empresas públicas. Antônio Palocci afirmou que Dilma sabia e compactuou com o esquema criminoso, e que ele e o ex-presidente Lula tentaram obstruir as investigações da operação Lava Jato.

Palocci prestou informações ao juiz Sérgio Moro por aproximadamente 2 horas. Neste processo, além de Palocci, também são réus o ex-presidente Lula e outras seis pessoas.

A ação verifica se a Odebrecht de fato pagou propina de aproximadamente R$ 12 milhões ao ex-presidente Lula com a compra de um terreno em São Paulo, que posteriormente seria construída a sede do Instituto Lula, assim como de um apartamento vizinho ao de Lula, na cidade de São Bernardo do Campo.

Além dessas informações, no depoimento desta quarta-feira (6), Antônio Palocci foi arguido sobre outros assuntos e os respondeu sem exitar.

O ex-ministro está preso desde setembro de do ano passado. Em junho, em outra ação da Lava Jato, foi condenado a 12 anos de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.
Nessa ação, o Ministério Público afirma que Antônio Palocci intermediou o repasse, no exterior, uma quantia de US$ 10 milhões da Odebrecht ao casal de marqueteiros João Santana e Monica Moura, estes foram responsáveis pelas campanhas para presidência de Dilma e Lula.

Fonte: G1.globo

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here