-Publicidade-

Após fala da OMS, Bolsonaro aguarda “reabertura rápida”

Baseada em estudo inicial, OMS fala sobre paciente da COVID-19 assintomáticos. Diante disto, Jair Bolsonaro afirmou ”pânico começa a se dissipar”.

-Publicidade-

Nesta terça-feira(09), o presidente Jair Bolsonaro declarou que espera uma rápida reabertura dos comércios. Tendo em vista informações divulgadas pela Organização Mundial de Saúde-OMS de que paciente assintomáticos têm pequenas chances de transmitir a COVID-19.

Apesar de ser um estudo inicial, Jair Bolsonaro afirmou que o “pânico começa a se dissipar” . A declaração do presidente foi realizada na 34ª Reunião de Conselho do Governo, a qual exibida ao vivo, desta vez.

“A OMS nas últimas semanas tem tido algumas posições antagônicas.  A penúltima sobre a hidroxicloroquina. Foi determinada a suspensão de pesquisa e depois voltou atrás. As pesquisa continuam no Brasil e não temos a comprovação científica ainda, mas relatos de pessoas infectadas e de médicos e grande parte tem sido favorável ao uso da da hidroxicloroquina com azitromicina”, afirmou Bolsonaro.

“No dia de ontem (segunda-feira), mais um dado da OMS que a grande mídia ainda não divulgou. Tenho certeza que a mídia vai dar um grande destaque no dia de hoje a esta matéria, tenho certeza absoluta. Levando-se em conta a isenção e o compromisso da imprensa brasileira com a verdade acima de tudo porque foi noticiado ontem, também de forma não comprovada ainda, como nada é comprovado na questão do coronavírus, mas que a transmissão por parte de assintomáticos é praticamente zero, então isso vai dar muito debate e muitas lições serão tomadas”, apontou o presidente.

-Publicidade-

Confira mais afirmações de Jair Bolsonaro

Após fala da OMS, Bolsonaro aguarda "reabertura rápida"
Após fala da OMS, Bolsonaro aguarda “reabertura rápida” – Foto: R7

De acordo com o presidente, o estudo pode apontar o retorno das atividades de comércio mais rapidamente.  “Com toda certeza isso pode sinalizar a uma abertura mais rápida do comércio e a extinção daquelas medidas restritivas adotadas segundo decisão do STF, adotadas por governadores e prefeitos. O governo federal não tem qualquer ingerência nessas medidas restritivas, como por exemplo, o fechamento de comércio, proibição de frequentar espaços públicos, entre outros”, argumentou.

-Publicidade-

Além disso, Bolsonaro voltou a responsabilizar governadores e prefeitos pela crise de desemprego no Brasil. “Com toda certeza isso pode sinalizar a uma abertura mais rápida do comércio e a extinção daquelas medidas restritivas adotadas segundo decisão do STF, adotadas por governadores e prefeitos. O governo federal não tem qualquer ingerência nessas medidas restritivas, como por exemplo, o fechamento de comércio, proibição de frequentar espaços públicos, entre outros”.

Por fim, ele afirmou que a mídia tem provocado ‘pânico’ à população, tendo em vista as recorrentes informações divulgadas sobre os casos e óbitos por coronavírus. “Esse pânico que foi pregado lá atrás por parte da grande mídia começa talvez a se dissipar levando em conta o que a OMS falou por parte do contágio dos assintomáticos”, declarou.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua navegação. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade e nossos termos de uso Aceitar Ler Política