Mais um pedido de impeachment em desfavor de Bolsonaro foi assinado por Ciro Gomes, juntamente com Carlos Lupi, e protocolado na Câmara nesta quarta. A justificativa baseia-se na participação do presidente da república na manifestação em defesa da Intervenção Militar, ocorrida no último domingo, dia 19/04.

Todavia, incluindo o pedido de Ciro Gomes, já somam 24 os casos sob responsabilidade de análise do presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Inclusive contando com pedidos de ex-aliados de Bolsonaro, a exemplo do Deputado Alexandre Frota.


RELACIONADAS



Portanto, o instrumento textual, elaborado por Ciro e Lupi, acusa o presidente da república de ter cometido crime de responsabilidade. Em virtude de ter incentivado atos contra o Legislativo e o Judiciário durante a manifestação em frente ao Quartel-General do Exército, segundo os autores.

De acordo com o documento: “a incitação de manifestação contra os Poderes constituídos, a presença, apoio e endosso do presidente da República a pedidos de ruptura da ordem constitucional, do fechamento do Congresso Nacional e do STF”. Além da adoção de autoritarismo para atos institucionais são uma “afronta ao princípio da separação dos Poderes, sendo, portanto, crimes de responsabilidade”.

Mais sobre o pedido de impeachment contra Bolsonaro

Bolsonaro: Ciro Gomes encaminha pedido de Impeachment
Bolsonaro: Ciro Gomes encaminha pedido de Impeachment – Foto: Buzz Feed

O instrumento textual ainda afirma que Bolsonaro desobedeceu as orientações da Organização Mundial de Saúde – OMS e do Ministério da Saúde. No que se refere as medidas de prevenção para combate a pandemia por coronavírus.

Ciro Gomes e Carlos Lupi denunciam no texto de sua solicitação à Câmara: “As atitudes mesquinhas do denunciado resguardam apenas os interesses escusos do capital, no que se olvida que a fatura da pandemia da Covid-19 não pode ser paga com vidas alheias, em patente desrespeito a direitos individuais e sociais”.

Contudo, Rodrigo Maia é o responsável por analisar todos os pedidos que se somam na Câmara de Deputados. Ou seja, está incumbido de analisar as solicitações e decidir se dá sequência aos pedidos. No entanto, não existe um prazo determinado para que ele se posicione quanto a estas decisões.

Por fim, no caso de ser dada sequência aos pedidos de impeachment, o caso ainda deve ser examinado por uma comissão especial. E seguidamente encaminhado para o Plenário da Câmara. No entanto, para que o Senado seja autorizado a abrir o processo de impeachment contra Bolsonaro, é necessário ao menos 342 votos favoráveis.

Bolsonaro: Ciro Gomes encaminha pedido de Impeachment

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui