26 de Dezembro de 2018, atualizado ás 10:12

Bolsonaro faz crítica à Lei Rouanet e promete controlar desperdício



Por: Redação A Folha Hoje | Notícias

Compartilhar:
         

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, voltou a criticar a famosa Lei Rouanet na manhã desta quarta-feira (26). Segundo Bolsonaro, haverá um controle rígido das concessões destinadas a instituições artísticas culturais. O intuito é evitar desperdícios.

Bolsonaro faz crítica à Lei Rouanet e promete controlar desperdício

confira também Bruna Marquezine passa o Natal em família e posta vídeo nas redes sociais

Rígido controle de concessões governamentais culturais

Bolsonaro, publicou hoje (26/12) no seu perfil do Twitter, mais uma medida polêmica. Dessa vez, o anúncio estava relacionado às concessões governamentais destinadas a promoção e incentivo da cultura no país.

Segundo, o presidente eleito, em seu governo haverá um rígido controle das concessões culturais. ‘Há claro desperdício rotineiro de recursos, que podem ser aplicados em áreas essenciais.’ diz.

O seu tuíte ainda critica o atual Gerente de Responsabilidade Sociocultural, que em apenas um dia autorizou por meio da Lei Rouanet, cerca de R$7,3 milhões para mais de 20 entidades culturais.

Bolsonaro faz crítica à Lei Rouanet e promete controlar desperdício

Crítica sobre os repasses da Lei Rouanet

A Lei Rouanet é uma norma federal, responsável por repassar recursos para projetos de cunho artístico-cultural em todo o país. No entanto, essa distribuição de recursos tem sido alvo de críticas de Jair Bolsonaro, desde o período da sua campanha eleitoral.

Durante a campanha, Bolsonaro havia feito uma declaração direta sobre essa lei, segundo ele ‘O que acabará são os milhões do dinheiro público financiando ‘famosos’ sob falso argumento de incentivo cultural, mas que só compram apoio! Isso terá fim!’

Leia também

Venda de bebidas alcoólicas pode ser limitada no Governo Bolsonaro

Namorado de Fátima Bernardes rebate ironia de Bolsonaro sobre Bloco de Oposição

 Benefícios serão destinados a artistas talentosos

De acordo com Bolsonaro, na sua gestão o Ministério da Cultura será incorporado ao Ministério da Educação. Ambas serão gerenciadas pelo futuro ministro Ricardo Vélez Rodríguez, que irá regular a distribuição de recursos para fins artísticos culturais.

Antes mesmo de ser eleito, Bolsonaro havia declarado por meio de redes sociais que os benefícios continuariam sendo concedidos. No entanto, apenas para aqueles artistas que realmente fossem talentosos, que estão começando a sua carreira, mas não possuem uma estrutura para isso.

Essas críticas, feitas durante toda a sua campanha, servirão de base para a construção das novas normas e medidas governamentais sobre os repasses de recursos federais para as instituições que tem como propósito incentivar a cultura e as expressões artí


Redação A Folha Hoje

https://www.afolhahoje.com/

A Folha hoje é um portal Notícias, Entretenimento e Conteúdo de nichos específicos como, concurso público, dicas de cartão de crédito, resultados de loterias, e muito mais. Para falar conosco envie um e-mail para contato.afolhahoje@gmail.com

  

0 Comentários