-Publicidade-

Bolsonaro: Gravação da reunião apontada por Moro é entregue ao STF

O Supremo Tribunal Federal – STF recebeu a gravação de uma reunião que Sérgio Moro citou em depoimento que acusa o presidente Jair Bolsonaro.

-Publicidade-

Nesta sexta-feira, 08 de maio, o Supremo Tribunal Federal – STF recebeu a gravação de uma reunião apontada por Sérgio Moro, ex-ministro de justiça. Contudo, o ministro Celso de Mello decretou que se mantenha sigilo, temporariamente, quanto ao material que o governo de Jair Bolsonaro entregou.

De acordo com a Advocacia Geral da União – AGU, o material entregue ao Supremo foi íntegro. Vale lembrar que Celso Mello determinou o prazo de 72 horas para Jair Bolsonaro disponibilizar a gravação.

A demissão de Sérgio Moro foi anunciada no dia 24 de abril. Na ocasião, o ex-ministro acusou o Bolsonaro de estar tentando interferir na Polícia Federal. Em decorrência das declarações de Moro, a Procuradoria Geral da República solicitou, bem como o STF deu início a um inquérito para que se investigue as acusações.

Entretanto, segundo informações obtidas no G1, anteriormente à entrega das gravações da reunião referida por Moro, a AGU chegou a:

-Publicidade-

  • pedir a Celso de Mello que reconsiderasse a ordem dada ao governo para encaminhar o material à Corte;
  • solicitar que somente uma parte dos registros, que tivessem relação com o inquérito, fosse disponibilizada;
  • pedir ao STF que estabelecesse previamente as autoridades responsáveis pela guarda do material.

Mais sobre o inquérito que envolve Jair Bolsonaro

Bolsonaro: Gravação da reunião apontada por Moro é entregue ao STF
Bolsonaro: Gravação da reunião apontada por Moro é entregue ao STF – Foto: O Vale

-Publicidade-

Ao realizar os pedidos, o ministro da AGU, José Levi Mello do Amaral Júnior, apresentou a argumentação de que, na reunião supracitada, ocorrida em 22 de abril “foram tratados assuntos potencialmente sensíveis e reservados de Estado, inclusive de relações exteriores, entre outros”.

Neste caso, devido à realização do pedido ao STF, ficou evidente que a AGU reconhecia a existência do vídeo solicitado. Bem como, Bolsonaro também mencionou o vídeo em uma de suas conversas com jornalistas. Visto que afirmou ter solicitado autorização aos ministros participantes da reunião para que o conteúdo fosse divulgado.

“Eu comecei hoje a reunião de ministros pedindo uma autorização para eles, porque a nossa reunião é filmada. E fica no cofre lá, o chip. Eu falei ‘senhores ministros, eu posso divulgar o que eu falei na última reunião de ministros?’. Ninguém foi contra. Eu falei, tá certo”, afirmou Jair Bolsonaro na ocasião.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua navegação. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade e nossos termos de uso Aceitar Ler Política