14 de Janeiro de 2020, atualizado ás 08:01

Caranguejo-uçá tem início do período de defeso anunciado pelo IBAMA

Por: | Alagoas


Começou no último domingo, 11 de janeiro, o primeiro período de defeso do caranguejo-uçá, em Alagoas.

SIGA => A FOLHA HOJE NO GOOGLE

Anualmente são disponibilizadas as datas da época de defeso do caranguejo-uçá, bastante utilizado na culinária do estado, que são as épocas de reprodução do caranguejo.

Conhecida como andada, quando os machos e fêmeas saem de suas tocas para acasalar e por tanto se tornam mais vulneráveis à captura.

Caranguejo-uçá tem início do período de defeso anunciado pelo IBAMA (Imagem: Revista ES Brasil)

Esses períodos correspondem a lua cheia, e fica proibida a captura, o transporte, beneficiamento, industrialização e comercialização da espécie, em prol da sua conservação.

Até março, 12 estados brasileiros deverão obedecer aos períodos em que a captura desse crustáceo é proibida.

Além de Alagoas, os estados do Amapá, Para, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Sergipe e Bahia, devem obedecer aos três períodos, segundo o estabelecido pela Instrução Normativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) nº 1/2020, que são:

  • 1° período: 11 a 16 de janeiro de janeiro;
  • 2° período: 10 a 15 de fevereiro;
  • 3° período: 10 a 15 de março.

O estado do Espírito Santo, também terá períodos de defeso, no entanto deverá obedecer a Portaria Estadual nº 019-R, de 11 de dezembro de 2019, que estabelece 4 períodos, entre janeiro e abril.
  • 1° período: 10/01/2020 – 15/01/2020;
  • 2° período: 09/02/2020 – 14/02/2020;
  • 3° período: 09/03/2020 – 14/03/2020;
  • 4° período: 07/04/2020 – 12/04/2020.

VEJA TAMBÉM:

+Democracia em Vertigem, de Petra Costa, é indicado ao Oscar 2020;
+IPVA e Licenciamento 2020 confira o calendário de pagamentos.

Quem trabalha com a comercialização do crustáceo, deverá ficar atento as datas e informar aos órgãos responsáveis, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais e Renováveis (IBAMA) e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), uma relação detalhada com o estoque dos caranguejos até o último dia útil que antecede cada período de andada.

Esses estoques deverão estar acompanhados de autorização emitida pelo Ibama, desde a origem ao destino do crustáceo.  

Para quem frequenta os locais onde esses animais andejam respeitem o período de reprodução dos caranguejos, ter consciência ambiental é um dever de todos, além de garantirmos a continuidade da espécie.

Siga nas Redes Sociais:

Instagram: @afolhahoje;

Página do facebook: A Folha Hoje;




G M Rhaekyrion

Escritora de ficção e fantasia, colunista de site em entretenimento, moda, saúde, beleza e bem-estar. Bióloga por formação, pela Universidade Federal de Alagoas e, eventualmente, faço criticas narratológicas para escritores de ficção.

  

1 Comentário

  1. Robson disse:

    Otima matéria. Não só para alertar os os comerciantes e pescadores, mas a todos.
    Evitar que mais uma espécie corra o risco de entrar em extinção, é dever de todos!