Finanças

Cartão de crédito: juro para inadimplentes será o mesmo para quem paga em dia

3 cartões de crédito que dão dinheiro. Veja a lista!

Depois de menos de 1 ano, do governo estipular novas regras para o cartão de crédito, mais uma mudança entrou em vigor, no dia 01 de julho de 2018, relativa a cobrança da taxa de juros do rotativo. De acordo com a nova regra do BC, a chamada de “não regular”, a taxa específica para quem paga suas faturas do cartão de crédito com atraso terá que ser igualada a taxa cobrada do crédito rotativo para quem paga em dia, chamada “regular”.

Significando na prática, que clientes que estão inadimplentes deverão ter acesso à taxas de juros iguais as dos clientes que pagam sua fatura em dia.

As instituições terão que igualar a taxa de juros de clientes inadimplentes às que pagam sem atraso

A mudança, motivada pelo entendimento do Superior Tribunal de Justiça (STJ), considerou que as empresas não podem praticar taxas diferentes das previstas no contrato.

Loading...

Entenda a principal diferença entre o ‘rotativo regular’ e ‘rotativo não regular’ e taxas:

  • Rotativo Regular – Quando o cliente opta pelo parcelamento da fatura. A taxa de juros do financiamento para essa opção de pagamento é menor, pois ao banco tem possibilidade de lucrar mais com um prazo maior.
  • Rotativo não regular – é quando o cliente não faz o pagamento até o dia do vencimento, a taxa de juros cobrada é sempre maior do que os clientes que pagam regularmente.
  • Encargos por atraso – é a multa de 2% por atraso e os juros de mora de 1% ao mês continuaram a serem cobrados pelas instituições financeiras.

Segundo a nova regra, não haverá mais o mínimo de 15% para usar no crédito rotativo, as instituições financeiras poderão ter liberdade para definir o percentual mínimo, que poderá ser de acordo com o risco de cada cliente.

Loading...

Consultaram seu CPF no Serasa! Veja quem foi, pode ser tentativa de fraude!

Embora o governo acredite que a mudança será benéfica, igualando os juros do rotativo, a nova regra poderá ter também um impacto negativo, pois as administradoras podem optar por aumentar os juros do “rotativo regular” para compensar as perdas de ganhos com no rotativo “não regular”, o que já aparente estar acontecendo.

Bradesco e Santander anunciam aumento nos juros do rotativo do cartão de crédito

De acordo com a matéria da Exame, de 27 de julho, a seção ‘seu dinheiro’ do site noticiou, que no Santander, a taxa de juros do rotativo regular do cartão de crédito, para consumidores que pagam o mínimo, subiu de maio para junho, 30,7 pontos, chegando aos 241,91 % ao ano. Já no Bradesco, no mesmo período, a alta foi menos, de 4,35 pontos, porém batendo em 317 % ao ano, a taxa mais cara entre as principais instituições financeiras do país, as cinco maiores que detém cerca de 80 por cento do mercado.

Contudo, os juros médios cobrados na modalidade ‘não regular’, na qual clientes não quitam a fatura mínima, caíram 32,8 pontos, ficando em 261,1% ao ano. Já os juros gerais, saltaram para média de 313,3 % ao ano, no rotativo “regular” do cartão de crédito, com alta de 18,1 pontos em junho, em relação ao mês de maio, segundo divulgou o BC na sexta-feira.

Quando uma dívida no cartão de crédito prescreve ou caduca?

No período, no cartão do Banco do Brasil, a cobrança desta taxa caiu 13,78 pontos, ficando em 165% ao ano, recuando também na Caixa Econômica Federal, 3,16 pontos, ficando a 237,52 % ao ano. Já no cartão do Banco Itaú, a taxa ficou estabilizada e 218,38 % ao ano. segundo comparações a partir de dados diários divulgados pelo Banco Central.

Loading...

Segundo o chefe de estatísticas do BC uma ‘taxa de equilíbrio’ está sendo buscada

Segundo pontuou o chefe do departamento de estatísticas do Banco Central, Fernando Rocha, isso “é devido às instituições financeiras buscarem uma nova taxa de equilíbrio, uma nova média para essa taxa do regular”.

Em entrevista coletiva à imprensa, Fernando pontuou que, em junho especificamente, o BC viu o aumento das taxas do ‘rotativo regular’, por duas instituições, porém não as citou nominalmente. Ressaltando que não ha ainda “elementos suficientes para dizer se esse aumento no mês vai ser uma coisa que vai se generalizar” nas demais instituições financeiras,”ou se vai refluir”. completou.

Em síntese, se generalizar o aumento, o que se pode esperar do mercado de crédito, é o que já é uma realidade na vida de quem leva suas contas em dia, continuar pagando o preço da inadimplência.

Fonte: Exame, por Marcela Ayres (com reportagem adicional de Aluísio Alves, da Reuters)

Loading...

Você pode gostar de
Tags: , , , , ,

More Similar Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu