Caso Marielle: Jornalista diz que Bolsonaro voltou pro Rio.

Heberton Junior - 13 de Novembro de 2019 às 20:55:12
Looks like you have blocked notifications!

O caso Marielle está novamente causando debates nas redes sociais. A Folha Hoje vai comentar sobre tudo sobre esse assunto que envolve o presidente Jair Bolsonaro.

Siga A Folha Hoje no Google News – Clique Aqui!


RELACIONADAS



Nesta quarta-feira (13/11), foi resgatado um tuíte da jornalista Thais Bilenky no dia 14 março de 2018, mesma data em que a vereadora Marielle Franco (Psol) e o motorista Anderson Gomes foram assassinados, revela que Jair Bolsonaro poderia, sim, estar em sua casa no momento em que o porteiro do condomínio teria interfonado para anunciar a chegada de Elcio Queiroz, um dos acusados do assassinato.

O caso foi revelado pelo advogado Eduardo Goldenberg, que resgatou o tuíte da jornalista e soltou no Twitter.

Leia também:  Globo troca Flamengo x Vasco por A Dona do Pedaço

Tweet do advogado:

A jornalista trabalhava antes para Folha de São Paulo e atualmente na revista Piauí, tuitou na ocasião que Bolsonaro teve “intoxicação alimentar” e voltou mais cedo para o Rio, creditando as informações à assessoria do mesmo.

“Bolsonaro teve uma intoxicação alimentar, passou mal e, nos últimos dois dias, precisou reduzir bem o ritmo da agenda. Até voltou mais cedo (hoje) pro Rio. Disse a sua assessoria”, diz o texto, publicado às 12h28 do dia 14 de março de 2018.

Logo após a reportagem do Jornal Ncional, que fez a revelação que o porteiro do condomínio Vivendas da Barra, teria interfonado para a casa 58, de Bolsonaro, e teria sido autorizado pelo “Seu Jair” a permitir a entrada de Élcio Queiroz, o presidente reagiu a gritos em uma live, afirmando que estava em Brasília, cumprindo, segundo ele, intensa agenda no Congresso.

Leia também: Bolsonaro extingue o seguro DPVAT, entenda o caso

Entretanto, o tuíte da jornalista pode apontar uma contradição do então parlamentar. Segundo a reportagem da Globo, o ex-policial militar, teria afirmado à portaria do condomínio em que Bolsonaro morava que iria para a casa do presidente, mas se dirigiu a casa de Ronnie Lessa, apontado como o autor dos disparos contra Marielle, que fica no mesmo condomínio.

Em depoimento, o porteiro afirmou que uma pessoa identificada como “Seu Jair” autorizou a entrada de Élcio no mesmo dia do assassinato de Marielle.

VEJA TAMBÉM



Postado por: Heberton Junior
Designer e gamer em busca do melhor conteúdo.