25 de Novembro de 2019, atualizado ás 09:11

Como evitar as dívidas nas compras de Natal e Ano Novo

Por: | Finanças


Looks like you have blocked notifications!

O ano de 2019 está chegando ao fim, mas as compras de Natal e Ano Novo estão só começando.

SIGA => A FOLHA HOJE NO GOOGLE NEWS
Como evitar as dívidas nas compras de Natal e Ano Novo
(Imagem: dci.com)

Logo as lojas estarão abarrotadas de pessoas com ares de pressa comprando qualquer produto que lhe convenha porque os estoques estão no fim e as lojas dificilmente darão bons descontos, pois é a melhor época para se vender.

Se você não quer entrar em 2020 no sufoco – já que, além das dívidas de Natal, virão as taxas anuais (IPVA, IPTU, Imposto de Renda), fora as Matrículas e Materiais Escolares (para quem tem filhos) – da uma olhada nessas dicas, em passo a passo, que nós da A Folha Hoje preparamos.

Primeiro Passo: organizar suas dívidas e despesas do mês.

Principalmente se você for uma pessoa que costuma usar o cartão de crédito, é de suma importância checar quais são suas despesas, quanto ainda deve no cartão e as despesas mensais, já que elas não perdoam só porque é Natal.

Então coloca no papel, ou na planilha, quais são seus gastos fixos e suas despesas do cartão.

Checa os extratos do seu cartão de credito e estipula quanto ainda deve, o limite e se for parcelar quanto pode pagar por mês sem prejudicar as outras contas.

Com os aplicativos de banco e de planejamento mensal fica fácil fazer isso.

Compras de Natal e Ano Novo: como evitar as dívidas. (Imagem: foregon.com)

Planeje então quanto você gastará para pagar as contas e a dívida em seu cartão.

Segundo Passo: Planejar quanto você pode gastar esse mês:

Depois de ter em mente – ou melhor: no papel, bem anotado – todas as suas despesas, hora de pontuar suas receitas. Anote seu salário, quanto receberá de decimo terceiro, vai ter férias? Anote também!

E nada de fazer planos de cabeça, COLOQUE TUDO NO PAPEL! Mesmo que você tenha uma “mente de calculadora”, ter as finanças anotadas em um caderninho vai te livrar de muitos sustos no meio do caminho!

Agora que você tem o balanço das suas entradas e saídas hora de se perguntar: quanto posso gastar esse mês?

Se suas despesas vão além do seu salário, melhor segurar as pontas, deixe o décimo terceiro para pagar as dívidas!

Antes um Natal simples com tranquilidade do que um exuberante cheio de dores de cabeça se acumulando para mais tarde.

Conseguiu pagar as dívidas e sobrou alguma coisa, avance para a próxima casa.

Terceiro Passo: Faça sua lista de compras.

Compras de Natal e Ano Novo: como evitar as dívidas. (Imagem: simplic.com)

Nem só de presentes se vive o Natal. Nessa época do ano é quase tradição comprar roupas, calçados, fazer aquela feira diferenciada para a ceia natalina e do réveillon.

Portanto analise suas prioridades. Precisa comprar roupas? Quantas blusas, calças, meias, calcinhas, cuecas você precisa?

Isso mesmo, faça uma lista de coisas que serão necessárias nesse Natal e coloque as prioridades.

Pode exagerar na lista, coloque tudo o que você pensa que vai precisar comprar, desde a presilha para o penteado até a bicicleta da mulher maravilha para a sua filha.

Depois veja as prioridades e corte o que não é necessário, será mesmo que vou precisar comprar um presentinho para o sobrinho, do neto, do tio, da minha cunhada?

VEJA TAMBÉM:

+Black Friday 2019: aplicativos que vão te ajudar a não cair em fraudes
+Planejamento e plano financeiro, o que é e sua importância no dia a dia

Quarto Passo: Estipule um limite de compras.

Isso mesmo, veja quanto vai gastar com cada departamento da sua lista. Como ela já esta feita é provável que já tenha uma noção de quanto vai precisar gastar com cada parte dela.

Não exagere nas compras, lembre de comprar somente o necessário. De que adianta um guarda roupa cheio de modelinhos que você nunca vai usar, ou pagar meses a fio por uma roupa que já nem vai lhe servir mais?

Depois vem os presentes, sempre queremos mostrar que lembramos daquela pessoa especial.

Se o dinheiro sobrou tudo certo, mas se comprar o presente significará ficar no vermelho nos próximos meses, opte por uma lembrancinha, quem sabe algo artesanal, ou apenas explique que esse ano você teve de equilibrar as contas e não pode lhe presentear, o que não significa que ela não more no seu coração.

Quanto a ceia não precisa comprar tudo sozinho, combine com seus familiares e amigos um jantar coletivo em que cada um contribui com um prato, no final o que importa é reunião entre entes queridos, não é mesmo?

Quinto Passo: Pesquise! E não deixe para comprar tudo de última hora.

Não vá chegando na primeira loja e comprando a primeira blusinha que achou engraçadinha.

Pesquise preços, locais com melhor custo benefício, lojas com desconto e melhores opções de pagamento.

Aproveite as promoções da Black Friday, se já tiver seus planejamentos em dia, e pós Black Friday, pois quanto mais próximo do Natal mais difícil encontrar itens que lhe agradem com preços acessíveis.

Além do mais você evita aquelas filas gigantes e as lojas cheias de compradores de último instante.

Dê prioridade por pagar à vista, no dinheiro, e não caia nos 10x sem juros, com a primeira parcela só depois do carnaval, pois o que eles não dizem é que: enquanto você não paga, ou seja, nos meses de carência, os juros estão rolando e serão incorporados às suas parcelas.

Compras de Natal e Ano Novo: como evitar as dívidas. (Imagem: acritica.com)

E afinal passar 10 meses pagando uma compra do final do ano anterior é bem desesperador.

E se precisar usar o limite do cartão de crédito tenha em mente quanto pode gastar nele (lembra do segundo passo?) e tente não extrapolar os limites.

É de compras com parcelas pequenas em parcelas pequenas que no começo do mês a gente se afoga.

Compras de Natal e Ano Novo: como evitar as dívidas. (Imagem: pensonofuturo.com)

Por fim aproveite seu Natal na paz e comece o ano na tranquilidade de quem tem suas contas equilibradas.




G M Rhaekyrion

Escritora de ficção e fantasia, colunista de site em entretenimento, moda, saúde, beleza e bem-estar. Bióloga por formação, pela Universidade Federal de Alagoas e, eventualmente, faço criticas narratológicas para escritores de ficção.

  

0 Comentários