As mensagens trocadas entre o presidente Jair Bolsonaro e o ex-minnistro Sérgio Moro, no dia 22 de abril, demonstram que o presidente informou sobre a decisão de tirar Maurício Valeixo do comando da Polícia Federal, antes da reunião ministerial.

Inicialmente, o diálogo, disponibilizado pelo jornal  “O Estado de S. Paulo”, pertence ao processo de investigação que apura possível tentativa de interferência política na PF por parte do presidente. Portanto, as mensagens são opostas a versão defendida por Bolsonaro de que não tentou realizar tal interferência.


RELACIONADAS



Assim, de acordo com as mensagens, encaminhadas por volta das 06h20 do dia 22 de abril, Jair Bolsonaro escreveu então Ministro da Justiça: “Moro, o Valeixo sai essa semana. Isto está decidido. Você pode decidir apenas a forma. A pedido ou ex oficio”.

Loading...

Seguidamente, Sérgio Moro responde: “Presidente, sobre esse assunto precisamos conversar pessoalmente estou ah disposição para tanto”.

Por fim, Maurício Valeixo foi exonerado da função de diretor-geral da PF em 24 de abril. Logo após, ainda no mesmo dia, Moro anunciou que deixaria o Ministério da Justiça. E ainda levantou acusações contra o presidente da República sobre possível tentativa de interferir na PF. Que é diretamente vinculada ao ministério em questão.

Loading...

Bolsonaro se manifesta após vídeo de reunião ministerial ser divulgado

De acordo com mensagens, Bolsonaro avisou a Moro sobre troca na PF
De acordo com mensagens, Bolsonaro avisou a Moro sobre troca na PF – Foto: Terça Livre

Nesta sexta-feira, 22 de maio, o presidente Jair Bolsonaro manifestou-se, através de rede social, após divulgação do vídeo que trata da reunião ministerial ocorrida em 22 de abril. Segundo ele, o referido vídeo desfaz mais uma “farsa”, bem como demonstra que não existe “indício de interferência na Polícia Federal”.

Inicialmente, o vídeo foi divulgado nesta sexta, após decisão do Ministro do Supremo Tribunal Federal-STF, Celso de Mello. Sendo que a reunião da qual trata o vídeo contou com a participação do presidente Jair Bolsonaro, o vice Hamilton Mourão e os ministros do governo, totalizando 25 autoridades.

Contudo, após divulgação da gravação, Bolsonaro publicou um vídeo de 21 minutos e 20 segundos da mesma reunião. Acompanhado de um comentário com a afirmação: “Reunião Ministerial de 22 de abril / Mais uma farsa desmontada; Nenhum indício de interferência na Polícia Federal; João 8, 32 – “Conhecereis a verdade e verdade vos libertará”.

Além disso, ainda nesta sexta-feira (22), o presidente concedeu entrevista a rádio Jovem Pan. Na qual reafirmou que, durante a reunião, quando tratou sobre interferência, referia-se a sua segurança pessoal. Que é de responsabilidade do Gabinete de Segurança Institucional-GSI.

Loading...
Loading...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui