Diabetes: Causas, Sintomas e Tratamentos




Uma doença silenciosa e que pode atingir todas as faixas etárias merece toda nossa atenção. Estamos falando do Diabetes. Mas você saber o que é, quais os sintomas e o tratamento correto? Elaboramos um material especial com todas as informações necessárias sobre o Diabetes.

O que é a diabetes?

Uma doença silenciosa e que pode atingir todas as faixas etárias merece toda nossa atenção. Estamos falando do Diabetes. Mas você saber o que é, quais os sintomas e o tratamento correto? (Foto: Internet)

O diabetes é uma síndrome que ataca o metabolismo, em virtude da falta de insulina no corpo, causando um aumento da glicose (açúcar) no sangue. Isso acontece quando o pâncreas não produz o hormônio da insulina em quantidade suficiente para suprir as necessidades do nossos organismo. Como a insulina é responsável pela entrada de glicose para as células do organismo, a sua falta (ou alguma falha na sua atuação) resulta no acúmulo de glicose no sangue, dando orige diabetes.

Diferentes tipos de Diabetes

O Diabetes receberam algumas classificações devido ao seu grau de intensidade e ações no corpo humano. Elas podem ser classificadas como Tipo 1 e Tipo 2.

Diabetes Tipo 1 (DM 1) – Acontece quando as células pancreáticas são destruídas por um processo imunológico. Nessa fase, se formam os anticorpos contras as próprias células do corpo, levando a deficiência de insulina. O Diabetes Tipo 1 em geral costuma afetar crianças e jovens, mas existem relatos na presença em outras faixas etárias.

As características são: sede, fome excessivas, emagrecimento além do normal, perda de liquido, cansaço e fraqueza. Se o tratamento não for realizado rapidamente, os sintomas podem evoluir para desidratação severa, sonolência, vômitos, dificuldades respiratórias e coma.

Diabetes Tipo 2 (DM 2) – Atinge cerca de 90% dos pacientes que tem diabetes. Nessa caso, a insulina é produzida pelas células do pâncreas, porem com certa dificuldade, levado ao aumento da insulina, tentando manter os níveis de glicose normais no corpo. Para Diabetes Tipo 2 os sintomas são:  sede, perda de liquido, dores nas pernas, alterações visuais e outros. Se não diagnosticado de forma rápida, pode evoluir para um quadro grave de desidratação e com. Nessa caso, há aumento de peso e acomete em adultos a partir dos 50 anos. Mas recentes pesquisas mostram que jovens que não praticam atividade física e que consumem um número grande de gordura e carboidratos, estão apresentando também o Diabetes Tipo 2.

Além desses dois tipos de diabetes, podemos mencionar aquelas adquiridas no período da gestação e a pré-diabetes, que consiste em pessoas com histórico familiar da doença. Veja abaixo um pouco mais sobre elas:

Diabetes Gestacional – Ocorreu durante a gestação do bebê e deve-se tomar bastante cuidado. Na maioria dos caso, pode ser diagnosticada no terceiro mês da gravidez, através de um teste de sobrecarga de glicose. Já as gestantes que tiverem histórico de diabetes gestacional, abortos, hipertensão arterial, obesidade ou histórico familiar de diabetes, devem fazer um exame preventivo antes do 3° trimestre, já que a chance de desenvolverem a doença é maior.

Pré-diabetes – se refere a pessoas que ainda não foram diagnosticadas com qualquer dos níveis acima, mas apresentam alterações de glicemia, tornando-as diabéticas no futuro. Para isso, é aconselhável um controle do peso, além de manter uma prática constante de exercícios e uma alimentação balanceada, com redução de gordura e carboidratos, que viram açúcar em nosso sangue.

Sintomas do Diabetes

Para um resultado e diagnostico preciso, é necessário ficar em alerta com relação aos sintomas. Os principais são vontade frequente de urinar, fome, sede excessiva e emagrecimento além do normal (ou que venha ocorrendo sem o auxilio de alguma dieta). Isso ocorre em virtude da produção insuficiente de insulina ou uma ação errada, causando o aumento da glicose no sangue.

Sintomas Diabetes Tipo 1

  • – Vontade frequente de urinar;
  • – Fome excessiva;
  • – Sede excessiva;
  • – Emagrecimento além do normal;
  • – Fraqueza;
  • – Fadiga;
  • – Nervosismo;
  • – Mudanças de humor;
  • – Náusea e vômito;

Sintomas Diabetes Tipo 2

  • – Fome excessiva;
  • – Sede excessiva;
  • – Frequentes Infecções na bexiga, rins e pele;
  • – Feridas que demoram para cicatriza;
  • – Alteração visual;
  • – Formigamento nos pés e mãos;

Obs.: os sintomas para esse tipo de diabetes podem demorar a aparecer, por isso, é recomendado exames periódicos para pessoas acima dos 45 anos ou com histórico familiar da doença.

Sintomas Diabetes Gestacional

  • – Sede excessiva;
  • – Fome excessiva;
  • – Vontade constante de urinar;
  • – Problemas com a visão;

Obs.: O diabetes gestacional, na maioria das vezes, não causa sintomas e o quadro é descoberto durante os exames periódicos. Qualquer mulher pode manifestar o diabetes gestacional. Mas a atenção especial deve ser dada para aquelas que já tem histórico familiar de diabetes e apresentam excesso de peso antes da gravidez e ganho de peso durante a gestação.

Pacientes que tem diabetes podem apresentar diversas complicações, como?

  • – Doenças renais: os rins sofrem uma sobrecarga devido o excesso de glicose, prejudicando a filtração adequada e gerando lesões. Em alguns casos, é necessário um transplantes ou  hemodiálise.
  • – Cicatrização: muitas pessoas que sofrem de diabetes tem dificuldade de cicatrização devido o excesso de açúcar presente no corpo. Deve-se manter em alerta a pequenos machucados para que os mesmos não evoluam e levem a necessidade de uma amputação.
  • – Problema nos olhos: perda da visão também devido ao alto índice de açúcar no sangue, causando retinopatia, glaucoma e cataratas.
  • – Problemas cardiovasculares: está associado ao colesterol elevado, obesidade e pressão alta. Acarreta grande chances de um enfarte ou AVC (acidente vascular cerebral ou derrames).
  • – Sistema nervoso: nesse caso, ocorre um problemas no sistema nervoso, gerando sintomas como formigamento e dormência nas mãos e pês.

Tratamento adequado

Independente de qual tipo de diabetes o paciente venha a apresentar, o tratamento tem como objetivo controlar a glicose presente no sangue do paciente evitando que ela aumente ou caia durante o dia a dia. Selecionamos o tratamento adequado para cada tipo de diabetes:

Tratamento para diabetes tipo 1

Os pacientes que apresentam Diabetes do Tipo 1 precisam de injeções diárias de insulina para manterem a glicose no sangue em valores considerados normais. Para essa medição, é aconselhável ter em casa um aparelho, chamado glicosímetro,  que será capaz de medir a concentração exata de glicose no sangue durante o dia a dia do paciente.

Os médicos recomendam que a insulina deva ser aplicada diretamente na camada de células de gordura, logo abaixo da pele. Os melhores locais para a aplicação de insulina são barriga, coxa, braço, região da cintura e glúteo. Além de prescrever injeções de insulina para baixar o açúcar no sangue, alguns médicos solicitam que o paciente inclua também medicamentos via oral em seu tratamento, de acordo com a necessidade de cada paciente.

Tratamento para o Diabetes tipo 2

Já para os pacientes que apresentam Diabetes Tipo 2, o tratamento consiste em identificar o grau de necessidade de cada pessoa e indicar:

– Inibidores da alfaglicosidase: impedem a digestão e absorção de carboidratos no intestino.

– Sulfonilureias: Estimulam a produção pancreática de insulina pelas células

– Glinidas: Agem também estimulando a produção de insulina pelo pâncreas.

Como o Diabetes tipo 2 vem acompanhados de problemas como obesidade, sobrepeso, sedentarismo, triglicerídeos elevados e hipertensão, é importante consultar um médico e cuidar também dessas outras doenças e problemas que podem aparecer junto com o diabetes tipo 2. Dessa forma, a pessoa garante a sua saúde perfeita e consegue controlar todas as outras doenças com mais segurança e os resultados serão bem mais satisfatórios.

Tratamento para Diabetes Gestacional

Para mulheres que apresentam diabetes gestacional, o tratamento adequado irá diminuir os níveis de açúcar na corrente sanguínea da mãe, a fim de evitar que prejudique o desenvolvimento do bebê durante a gestação. Essas mulheres que apresentem uma condição de diabetes gestacional precisam observar como está o crescimento do bebê por meios de exames periódicos como ultrassons e o pré-natal.. Além disso, os médicos recomendam uma dieta acompanhada de exercícios físicos. Caso isso não seja suficiente, a gestante pode precisar de injeções de insulina para baixar o açúcar no sangue, além de prescrição de alguns medicamentos via oral para controlar o açúcar no sangue.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here