Em São Paulo, programa “Cozinhando pela Vida” distribui 30 mil refeições
Com início nesta quarta-feira (1º), o programa irá atender as regiões Central e Noroeste de São Paulo, distribuindo 600 refeições diárias, por dois meses.
Joey Phillipe - 30 de Junho de 2020 às 19:31:48

A partir da próxima quarta-feira (1º), o programa Cozinhando pela Vida realizará a produção e distribuição de marmitas nas regiões Central e Noroeste da cidade de São Paulo. Objetivando aliar-se às iniciativas da Prefeitura, em apoio à população em situação de vulnerabilidade social.

A iniciativa possibilitada por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, tem foco também na geração de renda e movimentação da economia local.


RELACIONADAS



“O Cozinhando pela Vida é uma iniciativa de três pilares. Além de alimentar a população que está em situação de vulnerabilidade durante a pandemia do coronavírus, também emprega e auxilia na renda de cozinheiras e movimenta o comércio local, onde são comprados os insumos das refeições”, explica a Secretária Municipal responsável, Aline Cardoso.

Além disso, as entidades Casarão Brasil e Instituto Laudenor de Souza serão responsáveis pela produção diária de 600 refeições. Sendo 300 no almoço e 300 no jantar, distribuídas gratuitamente nas regiões Central e Noroeste. Pelo período de dois meses, que irão totalizar 30 mil marmitas entregues.

Segundo a Prefeitura, cada marmita possui o valor de R$ 10, sendo que cada refeição tem 500 gramas. E é composta de uma dieta balanceada e nutritiva. Com arroz branco, feijão carioca, carne vermelha moída, legumes, macarrão e salada, além de uma fruta de sobremesa.

Saiba Mais sobre a Iniciativa em São Paulo
Em São Paulo, programa “Cozinhando pela Vida” distribui 30 mil refeições – Foto: Acontece Agora Online

Mas antes de conferir mais detalhes sobre o assunto, recomendamos que acesse a guia de notícias e clique no botão azul Criar alerta. Assim você ficará informado sobre todas as notícias de São Paulo e outras cidades do Brasil. Depois não esqueça de voltar aqui para conferir mais informações sobre o curso de formação.

Com foco no atendimento as pessoas vulneráveis do grupo LGBTQIA+, o Casarão Brasil irá produzir as marmitas na cozinha da Casa Florescer. Instituição que acolhe mulheres trans e travestis da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social.

Além disso, os profissionais contratados pelas entidades para realização dos trabalhos submeteram-se a uma capacitação em boas práticas na manipulação de alimentos. Assim, garantindo as normas de vigilância sanitária.

Mais detalhes

O presidente do Casarão Brasil, Rogério de Oliveira comentou: “O Programa Cozinhando pela Vida, que estamos trabalhando juntamente à Prefeitura, é de extrema importância pois, entre grande parte da comunidade LGBTI, a família é o maior fator de exclusão…”

“…A única saída desse público é, na maioria das vezes, morar na rua. O projeto atenderá a comunidade da região central de São Paulo, melhorando os índices de nutrição desta população e atendendo o objetivo principal de nossa entidade: apoiar, contribuir e estar ao lado da população mais vulnerável”, completou.

A Coordenadora do Instituto Laudenor, atuante na Zona Noroeste, Janaína Ribeiro, explica: “O Programa Cozinhando pela Vida é uma oportunidade de levar alimento saudável e de qualidade à população em situação de extrema vulnerabilidade, que é ainda mais impactada pela pandemia do coronavírus”.

VEJA TAMBÉM



Postado por: Joey Phillipe
Sou redator, curto a área de informática, gosto de games e esportes.