Estratégia para contar histórias a crianças é desenvolvida por Centro Educacional em SP



A iniciativa, desenvolvida em um Centro de Educação Infantil de São Paulo, objetiva promover momentos de interação entre as crianças e seus familiares.
Joey Phillipe - 01 de Agosto de 2020 às 21:43:47

A elaboração de propostas didáticas que podem ser realizadas de modo virtual tem sido um desafio, apresentado em decorrência da pandemia de COVID-19. As ações online buscam manter o vínculo entre as instituições escolares, as crianças e seus familiares.

Neste sentido, o Centro de Educação Infantil -CEI Vereador Joaquim Thomé Filho, localizado na cidade de São Paulo, conseguiu desenvolver uma estratégia para contar histórias a bebês e crianças, utilizando objetos do cotidiano.


RELACIONADAS



A contação de histórias auxilia as crianças na construção de suas própria cultura e a conhecerem o mundo, compondo a imaginação, o pensamento, a comunicação e a linguagem. Desse modo, a instituição de ensino decidiu incentivar a interação e as brincadeiras com objetos cotidianos no dia a dia das famílias.

Em formato de vídeo e com a participação da professora, as histórias são contadas, estimulando o vínculo visual. Que permite a aproximação e produção de memórias com as famílias diante da necessidade recente de distanciamento social.

Além disso, os vídeos produzidos são compartilhados, contribuindo para a produção de uma obra coletiva.

Mais detalhes sobre a Estratégia para Crianças
Estratégia para contar histórias a crianças é desenvolvida por Centro Educacional em SP – Foto: SME – Prefeitura de São Paulo

A proposta destaca também a importância da leitura no âmbito familiar e para a construção cultural das crianças. Assim como, a possibilidade de explorar objetos comuns como parte do enredo das histórias na primeira infância auxilia na construção da capacidade cognitiva, a criatividade e até a sociabilização de bebês e crianças.

As histórias podem ser um espaço de conexão e interação entre adultos e crianças, principalmente na quarentena. Um objeto como secador, por exemplo, pode tornar-se um lobo mau que solta vento.

Além disso, enquanto a professora aparece no vídeo, guiando a contação de histórias, são realizadas ações semelhantes às apresentadas na unidade e a família estabelece a ponte com a criança. Com incentivo no tocante ao uso de objetos, letras de músicas e outros elementos voltados à trama.

Segundo uma das responsáveis por essa iniciativa, a professora Nathália dos Santos, as respostas obtidas têm sido interessantes.  “A parceria com as famílias por meio das devolutivas e da escuta se reflete no planejamento coletivo de nossa unidade, ampliando as experiências e o repertório de leitura”, declarou.

VEJA TAMBÉM



Postado por: Joey Phillipe
Sou redator, curto a área de informática, gosto de games e esportes.