Nas redes sociais, milhares de pessoas estão compartilhando mensagens de apoio, um movimento que busca resoluções pelo que de fato ocorreu na morte de Caio Gabriel Vieira da Silva, de 20 anos, morto durante uma suposta operação policial no Morro dos Macacos, zona norte do Rio de Janeiro.

Segundo testemunhas, um torneio de futsal era realizado na quadra, estavam presentes muitas famílias e pessoas que iam assistir o jogo, quando foram interrompidos pela operação que aconteceu na madrugada.


RELACIONADAS



Neste ponto, bombas de gás lacrimogênio foram lançadas em direção ao torneio, as pessoas tiveram que se dispersar e alguns tiros também foram ouvidos.

Caio pregava na igreja, sonhava em ser delegado ou juiz, diz fontes

Caio foi morto durante suposta operação policial, familiares pedem justiça pela morte do jovem - foto: reprodução
Caio foi morto durante suposta operação policial, familiares pedem justiça pela morte do jovem – foto: reprodução

Caio foi atingido por quatro disparos nas costas, sua camisa foi encontrada manchada de sangue, ele não resistiu aos ferimentos. Além disso, a versão apresentada pelos policiais não bate.

O caso gerou revolta na comunidade, que pede justiça pela morte de Caio. Stellinha Moraes, fundadora da ONG Anjos da Tia Stellinha, relatou o ocorrido: “Temos acesso a vários vídeos que mostram policiais com touca ninja, sem a gente conseguir ver a identificação, jogando bomba em cima de crianças. Nessa situação, um jovem veio a óbito. Caio não era envolvido com o tráfico. Ele recebeu quatro tiros de fuzil, pelas costas”, disse.

Contudo, a polícia diz que houve um confronto no local e afirma ter encontrado armas e drogas durante a ação. Anteriormente, por determinação do STF, operações policiais foram proibidas dentro das comunidades em razão da pandemia.

Jovem é morto durante torneio de futsal no Rio e testemunhas acusam polícia – fonte: Metrópole

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui