O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), foi criado em 1999 pelo governo federal, é um programa do Ministério da Educação (MEC) destinado a financiar a graduação na educação superior de estudantes matriculados em cursos superiores. O programa oferece juros menores para o custeio das mensalidades de estudantes ao longo do curso e o pagamento desse auxílio é feito apenas ao final da graduação. O que é, como funciona, quem pode solicitar, quais as vantagens, quando eu devo pagar? Confira tudo nesse artigo.

o Fundo de Financiamento Estudantil é uma das principais portas de entrada para as instituições de ensino superior no país. Podem recorrer ao financiamento os estudantes matriculados em cursos superiores que tenham avaliação positiva nos processos conduzidos pelo MEC.

Mudanças do FIES


RELACIONADAS



uma das principais mudanças no programa, foi na taxa efetiva de juros para estudantes que se enquadrem na Modalidade I (ou modalidade Fies) será zero; e, para estudantes que se enquadrem na Modalidade II e III (ou modalidade P-Fies), variará de acordo com o banco.

Loading...

Podem recorrer ao programa estudantes matriculados e não matriculados em cursos superiores que tenham avaliação positiva nos processos conduzidos pelo Ministério da Educação (MEC) e atendam aos critérios socioeconômicos do programa. Além disso, a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) passou a ser critério de seleção do Fies, portanto, ter um bom desempenho no exame, colocará o candidato ainda mais próximo de conseguir o financiamento.

 O que é o novo FIES

Para continuar assegurando o acesso ao ensino superior, o governo federal teve a iniciativa de lançar o novo FIES, para continuar assegurando o acesso ao ensino superior de quem não tem condições de bancar os custos de uma faculdade particular. Não é a primeira vez que ocorrem mudanças no programa, desde sua criação, o FIES já teve diversos modelos de funcionamento.

Loading...

Porém, por conta dos cortes orçamentários do Ministério da Educação (MEC), somados ao alto índice de inadimplência do programa, obrigou o governo a rever as regras para 2018, criando o novo FIES. Ainda de acordo com o MEC, as mudanças têm o objetivo de garantir a sustentabilidade e continuidade do programa, diminuindo a inadimplência que, segundo dados do ministério, chegaram quase a 50%.

Quais as mudanças do novo FIES

As novas regras do novo FIES começaram a valer para os contratos firmados a partir do primeiro semestre de 2018. O estudante que já tem contrato em andamento, poderá migrar para as novas regras. Lembrando que, algumas coisas não mudaram, a exemplo, a obrigatoriedade do aluno realizar o ENEM e a não cobertura da modalidade EAD.

E ainda, as mudanças implementadas no programa dizem respeito a taxa de juros, ao prazo de pagamento da dívida e ampliação da faixa de renda para os interessados em financiarem o curso superior. Anteriormente, o prazo prazo de carência para o início do pagamento da dívida, que era de 18 meses a partir da conclusão do curso, foi finalizado.

Na nova edição, o estudante deverá iniciar o pagamento assim que se formar. Caso esteja empregado, haverá um desconto automático na folha de pagamento. Esse desconto vai variar de acordo com a renda do aluno. Já para quem estiver desempregado, pagará uma parcela mínima, similar a que foi paga durante o curso.

Loading...

Outra grande mudança do programa está na criação de tipos ou modalidades de financiamento. Agora são 3 categorias, com características particulares e atendendo a diferentes faixas e perfis de alunos.

Como funciona o novo FIES

O novo FIES abre inscrições no início de cada semestre letivo, dando aos alunos selecionados mais oportunidades e chances de obter a ajuda financeira do Governo Federal, que pagará as mensalidades do curso, até a conclusão do mesmo.

Para ter direito ao programa, o estudante deverá cumprir os seguintes requisitos: ter feito uma das edições do ENEM a partir de 2010, ter média igual ou superior a 450 pontos e não ter zerado a redação. Lembrando que, a seleção leva em consideração diversos critérios, além da nota do ENEM, como curso escolhido, local e quantidade de vagas disponíveis. Cumprida esta primeira etapa, o aluno deverá realizar sua candidatura exclusivamente pela internet, no site de inscrições do novo Fies, o SisFIES (http://sisfies.mec.gov.br).

Cumpridos estes requisitos, o candidato será enquadrado em uma das modalidades de financiamento, considerando sua faixa de renda per capita. Como saber a renda per capita ? É muito simples! O estudante deve somar o salário de toda família e dividir o resultado pelo número de membros que compõem sua família. Este valor vai determinar em qual modalidade do novo FIES ele será enquadrado.

Modalidade do Novo Fies

Modalidade I (FIES): destinada aos estudantes com renda per capita mensal familiar de até três salários mínimos. Isso significa que cada integrante da família pode ter uma renda de até R$2.862,00. Nessa modalidade, não há cobrança de juros e o aluno começará a pagar as prestações respeitando o seu limite de renda.

Modalidade II (PFIES): destinada às regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, para os estudantes que tiverem uma renda per capita mensal familiar de até cinco salários mínimos. Cada integrante da família pode ter uma renda de até R$ 4770,00. Esta modalidade conta com recursos disponibilizados em parceria com instituições financeiras privadas e as condições do financiamento são definidas em conjunto com a instituição de ensino. Os juros variam, podendo, inclusive, chegar a zero.

Modalidade III (PFIES): destinada a todas as regiões do Brasil com recursos do BNDES, que define quais serão os juros. Assim como a modalidade II, será destinada para os estudantes que tiverem uma renda per capita mensal familiar de até cinco salários mínimos (R$ 4.770,00)

Lembrando que os valores acima foram calculados tendo como base o salário mínimo vigente, que sofre alterações anualmente. De acordo com o Governo, as modalidades do novo Fies trazem como benefícios menos juros aos alunos que mais precisam, maior prazo e maior transparência com as informações e com os parâmetros de reajuste das mensalidades.

O estudante deve ficar atento as mudanças se quiser aderir ao programa do novo FIES. O programa do Governo Federal ainda é uma ótima alternativa para quem não conseguiu passar para uma universidade pública.

Diante dessas informações, é possível ter uma noção do que é o Fies e o Novo Fies e ainda como ele funciona. Ressalto que, é através dele, que o estudante pode realizar o sonho de concluir um curso superior, mesmo não podendo pagar as mensalidades. Vale ou não a pena fazer o Fies? Confira todos os detalhes no vídeo abaixo

Loading...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui