Ted Bundy o filme é uma produção Americana de drama e biografia que conta parte da história do serial killer Ted Bundy. É um filme Netflix que está disponível para assistir na plataforma.

SIGA => A FOLHA HOJE NO GOOGLE

Dirigido por Joe Berlinger e com o roteiro de Michel Werwie, o filme Ted Bundy é protagonizado por Zac Efron e Lily Collins, os quais fazem o Ted e a sua namorada Liz, respectivamente.


RELACIONADAS



A história de Ted Bundy na vida real não é muito diferente da maioria dos serial killers clássicos e que ficaram famosos pela brutalidade e inteligência de seus crimes.

Filme Netflix da semana – Ted Bundy: a irresistível face do mal – Resenha crítica
Filme Netflix – Ted Bundy: a irresistível face do mal – Resenha crítica
(purebreak.com)

O filme estreou no cinema em 25 de julho de 2019 e está disponível na Netflix para ser conferido.

É uma produção de drama, suspense e biografia, não recomendada para menores de 18 anos.

Tem 108 minutos de duração.

Resenha crítica:

Fiquei com muita expectativa a respeito do filme Ted Bundy, pois assisti o documentário da vida real desse assassino, que também está disponível na Netflix: Conversando com um serial killer: Ted Bundy.

Filme Netflix da semana – Ted Bundy: a irresistível face do mal – Resenha crítica
Filme Netflix – Ted Bundy: a irresistível face do mal – Resenha crítica
(adorocinema.com)

No documentário a trajetória dos crimes, da vida e da prisão de Ted é bem clara, com várias filmagens e fitas gravadas com entrevistas e interrogatório de todo o caso.

É um caso de psicopata clássico, que seduz suas vítimas, as mata brutalmente, abusa sexualmente e deixa pistas bem ousadas para a polícia.

Como foi um caso que se passou na década de 70, onde a perícia criminal ainda não contava com o apoio da identificação genética forense, houve uma dificuldade para incriminar Ted pelos evidentes crimes.

VEJA TAMBÉM:

+Mulher Maravilha 1984: filme tem primeiro trailer divulgado na CCXP 2019
+Viúva Negra tem seu primeiro trailer lançado pela Marvel! Confira
+Indicação de filme Netflix: O Matador – Resenha crítica

Quando me deparo com esse filme Netflix a primeira coisa que penso é: eles estão mostrando a vida falsa do Ted, certo, vão revelar sua personalidade logo, logo.

Mas o que acontece com o ponto de vista mostrado no filme é que se coloca em dúvida o gênio cruel, assassino e sádico de Ted Bundy.

Como se ele fosse um homem injustiçado e que tivesse de fato sentimentos que foram feridos pela acusação.

Filme Netflix da semana – Ted Bundy: a irresistível face do mal – Resenha crítica
Filme Netflix – Ted Bundy: a irresistível face do mal – Resenha crítica
(veja.abril.com)

É quase como se tivesse colocado um romance na vida de um assassino cruel e sanguinário, que matou e estuprou brutalmente mais de 30 mulheres.

Durante o filme inteiro não mostra essa personalidade, se quer o jeito exibido, debochado e arrogante que de fato Ted Bundy tinha.

É como se só o “amor” que ele nutria pela namorada Liz importasse, como se psicopata sentisse amor.

Ted Bundy romântico

Durante o filme eles excluem esses pequenos detalhes da personalidade de Ted Bundy, principalmente como ele gostava de se exibir para a mídia e o como ele mudava a expressão ao ser impedido de dar entrevistas.

No documentário Conversando com um serial killer, em unanime, as pessoas que tiveram em contato com Ted mencionam:

Ele era uma pessoa quando estava conversando naturalmente, depois mudava quando os nomes das vítimas eram falados ou quando era impedido de dar entrevistas.

Filme Netflix da semana – Ted Bundy: a irresistível face do mal – Resenha crítica
Filme Netflix – Ted Bundy: a irresistível face do mal – Resenha crítica
(incrivelhistoria.com.br)

Todos mencionam como Ted gostava da mídia, de manipular, como era inteligente e engenhoso e como desdenhava do julgamento.

Durante o filme eles excluíram esses traços para colocar um homem gentil, atencioso e sensível, que estava enfrentando uma injustiça.

É decepcionante quando a ficção, que está tentando imitar o que foi a realidade, distorce critérios tão relevantes em um caso de psicopatia.

Chega a ser ultrajante como focam no romance, no amor, nos sentimentos. Tanto de Ted para com Liz, quanto dela e sua decadência no decorrer das acusações e julgamentos.

Ted Bundy: a irresistível face do mal, é uma decepção.

Um psicopata não possui sentimentos, não existe compaixão e não existe arrependimento.

Ted Bundy destroçou o interior vaginal de uma jovem com um spray de cabelo quando a estuprou. Arrancou o mamilo de outra, espancou o rosto de outra até virar uma pasta.

Cortou a cabeça de uma quarta, lesionava os corpos, estuprava. E ele desfazia do corpo com meticulosidade, as atraia por sua beleza física e gentileza, ou seja, premeditava.

Filme Netflix da semana – Ted Bundy: a irresistível face do mal – Resenha crítica
Filme Netflix – Ted Bundy: a irresistível face do mal – Resenha crítica
(brasilisnet.com)

Não existe sentimentos de compaixão em um homem que age dessa forma, que faz essas coisas.

E a demora jurídica para incriminá-lo foi devido a “falta de provas”, pois toda burocracia judicial é muito controversa.

E, claro, Ted Bundy demonstrava total normalidade diante das demais pessoas, tinha uma vida “normal” a luz do dia, digamos assim. E esse comportamento é típico de um psicopata clássico.

Ele mentia sobre seus estudos, era manipulador e todos falam que tinham um olhar maligno ao serem mencionadas as vítimas ou era proibido de dar entrevistas.

Bom, as grandes produções precisam pensar melhor ao inserir um enredo com um personagem com traço psicopático, ou sendo psicopata. Estudar melhor.

Pior do que ser uma ficção, é fazer um filme de uma história real de alguém monstruoso sendo suavizado para bater um romance que não existe.

Bom, essa é a minha crítica.

E você? O que achou do filme?

Sinopse original:

Cinebiografia de Ted Bundy (Zac Efron), serial killer que matou, pelo menos, 30 mulheres em sete estados norte-americanos durante a década de 1970.

Bundy se tornou famoso em todo o país, em parte por causa da fama de sedutor, que levou a conquistar várias fãs, e em parte por ter efetuado sua própria defesa nos tribunais.

A trajetória do psicopata é contada pelo ponto das mulheres que amou: Liz Kendall (Lily Collins), com quem se casou, e Carole Ann Boone (Kaya Scodelario), amante que o apoiou durante o longo julgamento nos tribunais.

Trailer do filme Netflix:

Trailer do documentário Netflix:

Siga nas redes sociais:

Instagram: @afolhahoje

Página do facebook: @afolhahoje

Grupo do facebook: A Folha Hoje – Entretenimento

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui