Nesta quinta-feira (8), a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) teve que se apresentar na sede da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap-RJ) de São Gonçalo, na região metropolitana do Rio de Janeiro, onde teve que receber a tornozeleira eletrônica.

Flordelis chegou por volta das três horas da tarde na sede, faltando apenas duas horas para o final do prazo de quarenta e oito horas estipulados pela Justiça. De acordo com fontes, ela permaneceu apenas 10 minutos dentro da unidade e logo foi liberada.


RELACIONADAS



O pedido é referente a uma decisão proferida pelo juiz Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, que determinou o recolhimento domiciliar no período noturno e o monitoramento eletrônico como medida cautelar.

Polícia investiga envolvimento da deputada e dos filhos na morte do seu próprio marido

Flordelis se apresenta para colocar tornozeleira eletrônica após intimação da Justiça do Rio - foto: reprodução
Flordelis se apresenta para colocar tornozeleira eletrônica após intimação da Justiça do Rio – foto: reprodução

A deputada Flordelis, sete filhos e uma neta estão sendo acusados de envolvimento na morte do seu marido, o pastor Anderson do Carmo, assassinado à tiros na madrugada de 16 junho de 2019.

Na ocasião, mais de 30 disparos foram efetuados dentro da garagem da casa onde o casal e os filhos moravam.

De acordo com investigações, a polícia descobriu que um dos filhos biológicos de Flordelis, Flávio dos Santos, foi o autor dos disparos. A arma utilizada no crime teria sido providenciada por um dos filhos adotivos do casal, Lucas dos Santos de Souza.

Apesar das provas e dos depoimentos colhidos, as investigações prosseguem após serem encontradas diversas inconsistências nas versões dadas pela família.

Motivação do crime teria sido financeira, aponta investigação

Igrejas do Ministério Flordelis são fechadas após escândalos envolvendo a morte do pastor Anderson e a deputada Flordelis - foto: reprodução
Igrejas do Ministério Flordelis são fechadas após escândalos envolvendo a morte do pastor Anderson e a deputada Flordelis – foto: reprodução

Segundo o inquérito policial, o pastor Anderson do Carmo teria sido assassinado por questões financeiras, já que ele era o responsável por grande parte da administração do Ministério Flordelis.

Apesar das acusações, Flordelis nega o seu envolvimento no crime, em entrevista com Roberto Cabrini, do SBT, a deputada declarou o seguinte: “Eu amo o meu marido até hoje. Eu preciso saber quem mandou matar o meu marido. Eu não sei. Se eu soubesse, eu falaria aqui, agora. Quem mandou matar o meu marido está desgraçando com a minha vida.”

Além disso, a deputada não foi presa apenas por ter imunidade parlamentar. No entanto, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), está analisando um processo que pede a cassação do mandato de Flordelis.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui