05 de Setembro de 2019, atualizado ás 15:09

Há cura sim para o vírus Ébola. Médico congolês a garantiu.



Por: | Notícias

Compartilhar:
         

Em 2014 houve um surto desastroso do vírus Ébola, que atingiu a África aos montes e matou mais do que se podia imaginar, porém, esse quadro agora é reversível.

Há cura sim para o vírus Ébola. Médico congolês a garantiu. (sonoticiaboa.com.br)

O médio condolês Jean-Jacques Muyembe é um virologista especialista no vírus Ébola, sendo o primeiro a ver um paciente acometido pelo vírus.

Além de ser pioneiro nos estudos e tratamentos para o Ébola com o uso de soro do sangue de pacientes sobreviventes.

Muymbe é responsável pelo desenvolvimento do tratamento que curou os pacientes acometidos com o vírus Ébola.

“Passei quatro décadas da minha vida a pensar como tratar pacientes com o vírus Ébola. Portanto, esta é a conquista da minha vida”, declarou o virologista.

Os testes foram realizados na República Democrática do Congo, um dos lugares que o vírus se espalhou em larga escala, matando 1.900 pessoas em 2018.

Os anos de estudo e dedicação resultaram em um tratamento que possui 90% de sucesso. Duas pessoas curadas por esse procedimento já receberam alta e se encontram com seus familiares.

O Tratamento do vírus

Muymbe não só descobriu um tratamento eficaz, ele descobriu a cura, que substituiu os medicamentos usados anteriormente, desde o estouro da epidemia.

“De agora em diante, não vamos mais dizer que o Ébola é incurável”, afirmou Muymbe, que também é diretor geral do Instituto Nacional de Pesquisa Biomédica do Congo.

Segundo o virologista o novo tratamento é capaz de curar os sintomas do vírus em apenas uma hora.

Porém, existe uma barreira na própria República Democrática do Congo, que relata ataques de rebeldes e tal mobilidade da população.

Acredita-se que as autoridades e agências de saúde também sejam fatores que dificultem a cura completa dos surtos no local, que ainda é o mais atingido pelo vírus.

LEIA TAMBÉM:

CINE CEARÁ – 29ª EDIÇÃO DO FESTIVAL TEVE INÍCIO SEXTA FEIRA.

PRIMEIRA MORTE POR SARAMPO CONFIRMADA EM SÃO PAULO

A resposta da equipe de Muymbe é otimista para esse quadro:

“Agora podemos dizer que 90 por cento podem sair do tratamento curados, eles vão começar a acreditar e desenvolver a confiança”

O virologista Muymbe foi considerado herói e entrou para a história com uma conquista incrível para a humanidade.

A BBC anunciou em entrevista com o virologista que o medicamento foi nomeado de REGN-EB3 e mAb114, que atuam atacando diretamente o vírus Ébola com anticorpos neutralizantes.

A porcentagem de 90% de sobreviventes ao tratamento é para os pacientes que foram exposto aos medicamentos desde cedo, descobrindo logo se estavam infectados.

Há cura sim para o vírus Ébola. Médico congolês a garantiu. (bantumen.com)

Mas os mais tardios também obtiveram um alcance percentual positivo de cura, bem como uma redução na mortalidade.

O Ébola é um vírus altamente contagioso e agressivo, essa conquista é mais que uma grande comemoração, é uma vitória!




G M Rhaekyrion

Escritora de ficção e fantasia, colunista de site em entretenimento, moda, saúde, beleza e bem-estar. Bióloga por formação, pela Universidade Federal de Alagoas e, eventualmente, faço criticas narratológicas para escritores de ficção.

  

0 Comentários