José Mourinho não é mais técnico do Manchester United depois de péssima campanha


Português estava na berlinda há meses por desempenho do time e relacionamento ruim com jogadores e comissão técnica.

O técnico José Mourinho foi demitido na manhã desta terça-feira (18) e não comandará mais o Manchester United em 2019.

Depois de assumir a frente do time inglês por duas temporadas e meia, o técnico português não aguentou a pressão que vinha sofrendo pelos mal resultados e acabou perdendo o emprego.

De acordo com o comunicado oficial dos diabos vermelho, o time terá um comandante interino até o fim da temporada, e um dos mais cotados é o ex-volante Carrick. Um técnico permanente será escolhido a partir de 2019/20.

“O Manchester United anuncia que José Mourinho deixou o clube com efeito imediato. O clube gostaria de agradecer Jose por seu trabalho durante este tempo no Manchester United e desejar sucesso a ele no futuro. Um novo técnico interino será escolhido até o fim da temporada atual, enquanto o clube conduzirá um processo de escolha de um treinador novo e permanente”

Veja também:

Fernanda Gentil deixa o Esporte Espetacular para comandar programa de entretenimento em 2019

Como foi a passagem de José Mourinho ao Manchester United

Português estava na berlinda há meses por desempenho do time e relacionamento ruim com jogadores e comissão técnica.
José Mourinho estava na berlinda há meses por desempenho do time e relacionamento ruim com jogadores e comissão técnica. (Foto: Skye News)

José Mourinho se despede do Old Trafford com uma trajetória marcada por críticas ao desempenho do time, polêmicas de relacionamento e ausência de títulos de grande peso, como Premier League e Liga dos Campeões.

Sua demissão vinha sendo cotada há alguns meses e acabou se concretizando antes da virada do ano, tendo a derrota para o Liverpool como estopim de uma crise bem mais antiga, que se refletiu na pior campanha do time na Premier League em 28 anos.

Embora tenha chegado ao Old Trafford depois de uma demissão precoce no Chelsea, o luso tornou-se uma esperança para um trabalho consistente, depois de tentativas frustradas de buscar um substituto para Sir Alex Ferguson. Entretanto, dentro das quatro linhas, jamais conseguiu entregar aquilo que era esperado pelos torcedores.

À sombra do ótimo desempenho do Manchester City, comandado pelo “rival” Guardiola, o português foi duramente criticado por escalar o United de forma defensiva e fazer o time jogar de forma burocrática.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here