A virologista chinesa Li-Meng Yan se escondeu nos Estados Unidos após receber ameaças do governo Chinês. Ela alega que as autoridades chinesas não apenas sabiam sobre o novo coronavírus muito antes de os primeiros casos serem oficialmente relatados em Wuhan em dezembro passado, mas também sugeriu que a Covid-19 foi criada em um laboratório militar chinês.

Li-Meng publicou, juntamente com sua equipe de pesquisadores, um documento de 26 páginas expondo sua teoria de que a pandemia que varre o mundo não é de origem natural.


RELACIONADAS



Seu relatório foi intitulado “Características incomuns do genoma CoV-2 da SARS, sugerindo uma modificação sofisticada de laboratório, em vez de evolução natural e delineamento de sua provável rota sintética.”

Li-Meng Yan busca refúgio nos EUA

Durante uma entrevista com a Taiwan News, Li-Meng Yan disse que durante o seu trabalho conseguiu rastrear a origem da pandemia até ao Exército de Libertação Popular, o braço armado do Partido Comunista da China.

“Sabia que, assim que falasse, teria de desaparecer – tal como os manifestantes em Hong Kong. Podia desaparecer a qualquer altura”, afirma Yan na entrevista.

Li-Meng Yan disse que tentou fugir com o marido, que também é cientista. Entretanto, ele reagiu mal: “Ele ficou muito aborrecido. Culpou-me, tentou destruir a minha confiança… Disse que nos matariam a todos.”

Li-Meng Yan: virologista desafia a China e é ameaçada de morte
Li-Meng Yan: virologista desafia a China e é ameaçada de morte. Imagem: reprodução.

A virologista tomou a decisão de ir até Los Angeles sozinha, mas quando chegou à cidade norte-americana, foi travada pelo serviço de estrangeiros e fronteiras e receou ser deportada. “Tinha que lhes dizer a verdade. Pedi que não me deportassem, que eu tinha vindo contar-lhe a verdade sobre a Covid-19. E que, por favor, me protegessem senão o governo chinês me mataria”, disse ela à Fox News.

Chegando no aeroporto, o FBI foi chamado. Li-Meng Yan diz que foi interrogada durante horas, que lhe apreenderam o telemóvel e que a deixaram prosseguir. Agora, encontra-se num sítio cuja localização foi mantida oculta.

Segundo a virologista, o seu apartamento na China foi destruído por agentes. Na sua cidade-natal, Quingdao, interrogaram os pais. Estes pediram à filha que regresse à China e esqueça tudo.

Tanto a China quanto a Organização Mundial da Saúde (OMS) negam as teorias da Dr. Yan de que o novo coronavírus não tenha origem natural. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui