Após um erro de sistema que impediu usuários de completar os dados, o Ministério da Educação (MEC) estendeu o prazo de inscrição do Financiamento Estudantil (Fies), para o segundo semestre. Os estudantes têm até a próxima sexta-feira, 17, para garantir uma vaga na universidade através do programa federal. O prazo seria encerrado nesta sexta-feira, 10.

A medida vale para os estudantes que foram aprovados em chamadas anteriores do Fies, mas optaram por postergar a assinatura dos contratos para o segundo semestre deste ano. Segundo o MEC, 12 mil alunos se enquadram nessa situação.

MEC detalha Falha no Cadastro do Fies 2018


RELACIONADAS



A falha no sistema atingiu uma leva de beneficiados pelo Fies que tiveram inscrições postergadas do primeiro para o segundo semestre de 2018. Para que os estudantes não percam o financiamento, é necessário atualizar os dados cadastrais na página do programa. Ao finalizar a etapa de cadastro, os dados do estudante seguem para análise na universidade na qual ele vai estudar.

Loading...

Entre os requisitos para pleitear uma vaga no programa, os estudantes precisam ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e atingido uma pontuação igual ou superior a 450 pontos, além de não zerar a redação. O problema foi solucionado e estudantes já podem fazer o cadastro por completo, no site, (http://sisfiesportal.mec.gov.br).

Novo fies

O Fies passou por mudanças neste ano, permitindo o financiamento de valores mais altos. O teto saiu de R$ 30 mil para R$ 42.938 por semestre. O programa federal também passou a custear pelo menos 50% das mensalidades dos alunos que fecharem contratos em universidades de todo o Brasil.

Loading...

O que é o novo FIES

Para continuar assegurando o acesso ao ensino superior, o governo federal teve a iniciativa de lançar o novo FIES, para continuar assegurando o acesso ao ensino superior de quem não tem condições de bancar os custos de uma faculdade particular. Não é a primeira vez que ocorrem mudanças no programa, desde sua criação, o FIES já teve diversos modelos de funcionamento.

Porém, por conta dos cortes orçamentários do Ministério da Educação (MEC), somados ao alto índice de inadimplência do programa, obrigou o governo a rever as regras para 2018, criando o novo FIES. Ainda de acordo com o MEC, as mudanças têm o objetivo de garantir a sustentabilidade e continuidade do programa, diminuindo a inadimplência que, segundo dados do ministério, chegaram quase a 50%.

Modalidade do Novo Fies

Modalidade I (FIES): destinada aos estudantes com renda per capita mensal familiar de até três salários mínimos. Isso significa que cada integrante da família pode ter uma renda de até R$2.862,00. Nessa modalidade, não há cobrança de juros e o aluno começará a pagar as prestações respeitando o seu limite de renda.

Modalidade II (PFIES): destinada às regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, para os estudantes que tiverem uma renda per capita mensal familiar de até cinco salários mínimos. Cada integrante da família pode ter uma renda de até R$ 4770,00. Esta modalidade conta com recursos disponibilizados em parceria com instituições financeiras privadas e as condições do financiamento são definidas em conjunto com a instituição de ensino. Os juros variam, podendo, inclusive, chegar a zero.

Loading...

Modalidade III (PFIES): destinada a todas as regiões do Brasil com recursos do BNDES, que define quais serão os juros. Assim como a modalidade II, será destinada para os estudantes que tiverem uma renda per capita mensal familiar de até cinco salários mínimos (R$ 4.770,00)

Loading...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui