O ex-ministro da saúde, Henrique Mandetta, realizou uma coletiva de imprensa nesta sexta-feira (17) pela manhã, em entrevista o ex-ministro alertou sobre os estudos da biotecnologia e chamou a atenção sobre o trabalho da Fiocruz, que teve um papel fundamental nos estudos do coronavírus (COVID-19) no Brasil.

Relatou também que o SUS (Sistema Único de Saúde) não deixou nenhuma dívida para os estados em 2019, zerando todas as pendências. Citou o repasse de 6 bilhões de reais em 40 dias, recursos diretos adquiridos com o apoio da iniciativa privada.


RELACIONADAS



E ressaltou a compra de 10 milhões de testes rápidos para realizar exames de detecção do coronavírus com a ajuda da Vale do Rio Doce e dos bancos brasileiros, um evento histórico.

Nelson Teich assume a gestão do Ministério da Saúde

Nesta sexta-feira (17), em coletiva, Nelson Teich assume o cargo de novo ministro da saúde - foto: reprodução
Nesta sexta-feira (17), em coletiva, Nelson Teich assume o cargo de novo ministro da saúde – foto: reprodução

Ao final da entrevista de Mandetta, o novo ministro da saúde Nelson Teich assinou o documento de posse do cargo. O novo ministro fez as devidas apresentações aos representantes da república e agradeceu a nomeação pela oportunidade de ajudar o país neste momento de crise.

O novo ministro da saúde Nelson Teich agradeceu também o trabalho feito pelos membros do ministério da saúde, um trabalho importante que foi feito até o momento e conta com o apoio, centrando na integração e na busca pela informação, peça fundamental para analisar a situação.

Também trouxe ao tocante, a situação das pessoas carentes, levando a atenção para as comunidades mais pobres e acompanhar a evolução dos casos em cada estados e municípios, para tentar solucionar os problemas de imediato.

+ A Folha Hoje | Notícias

Presidente Bolsonaro volta a falar sobre reabrir o comércio

O presidente Jair Bolsonaro também agradeceu os cumprimentos durante a posse do novo ministro da saúde e falou sobre hoje ser um dia de alegria. Falou que as vezes “os jogadores precisam ser substituídos”, em relação a saída do ex-ministro da saúde, Henrique Mandetta.

Além disso, Bolsonaro agradeceu ao Mandetta pelo trabalho realizado com o Ministério da Saúde, que teve início em janeiro do ano passado. E falou sobre o motivo da substituição, que seria por ter uma “ampla visão” da situação, buscando a motivação pela vontade do povo.

Reforçou que, enquanto o ex-ministro estaria focado na saúde, Bolsonaro e o ministro da economia, Paulo Guedes, teriam uma visão mais focada na economia. Também assumiu os ricos de reabrir o comércio, vista a necessidade das pessoas de trabalharem para se manterem financeiramente.

Assista a entrevista completa transmitida AO VIVO pela Tv Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui