Nelson Teich, Ministro da Saúde, declarou nesta quarta-feira que o isolamento social é necessário frente a pandemia ocasionada pelo coronavírus porque “você não sabe o que fazer”.

A declaração foi realizada durante a participação do Ministro da Saúde em uma audiência do Senado. Nelson Teich recebeu o convite para explanar sobre as medidas adotadas pelo governo para contenção do avanço da pandemia, segundo informações fornecidas pelo G1.


RELACIONADAS



Com isso Teich declarou: “As medidas de isolamento, que radicalizam o distanciamento, ele é necessário porque você não sabe o que fazer. A única coisa que você sabe é que o distanciamento diminui o risco de contágio. Como você não sabe quem está contaminado, qual o percentual, como aquilo transmite, qual frequência, você faz o radical, o que se faz há cem anos, você separa todo mundo”.

Loading...

Contudo, a Organização Mundial da Saúde – OMS e especialistas no assunto, recomendam o isolamento social para contenção da pandemia. No entanto, o ex-ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta, se opunha ao presidente Jair Bolsonaro sobre o assunto, inclusive publicamente.

Por fim, até a tarde desta quarta, o Ministério da Saúde divulgou uma atualização dobre os dados da pandemia no Brasil. A qual apresenta o registro de 78.162 casos confirmados de COVID-19, bem como 5.466 morte por coronavírus no país.

Loading...

Mais sobre a sessão em que o Ministro da Saúde participou

Ministro da saúde faz declaração sobre a necessidade do isolamento
Ministro da saúde faz declaração sobre a necessidade do isolamento – Foto: Ministério da Saúde

Ainda durante a audiência, realizada por videoconferência entre os senadores, Bolsonaro foi criticado pelas declarações que fez na terça-feira (28), quando questionado sobre as mortes por coronavírus ocorridas no Brasil:  “E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagre.”

Portanto, afirmando estar indignada com as declarações do presidente da República, Kátia Abreu (PP-TO) afirmou que espera “atitude e espirito público”, visto que não pode contar com a “solidariedade” de Bolsonaro.

Por outro lado, o Senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) destacou que não deve haver divergência na orientação do governo quando se tratar do isolamento social. Tendo em vista que o presidente Jair Bolsonaro está dando “sinais contrários” ás recomendações de afastamento.

Diante das afirmações, Nelson Teich afirmou que o Ministério da Saúde jamais alterou a orientação sobre o distanciamento social. No tocante as declarações de Bolsonaro, Teich declarou que o Ministério não é “indiferente a morte das pessoas”.

Loading...

“A gente, como ministério, nunca se posicionou para saída do distanciamento. A decisão [pela flexibilização do distanciamento] foi de alguns governadores. Nossa orientação desde o começo é o distanciamento. A gente não é indiferente à morte das pessoas”, afirmou.

Loading...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui