Nesta sexta-feira, 29 de maio, faleceu o jornalista e escritor Gilberto Dimenstein, aos 63 anos, na cidade de São Paulo.

Inicialmente, o autor de mais de 10 livros, lutava enfrentava um câncer no pâncreas, desde o ano 2019. De acordo com as informações publicadas pelo portal Catraca Livre, o qual foi fundado por Dimenstein, o escritor faleceu às 09h, enquanto estava dormindo.


RELACIONADAS



“Morre hoje, 29, o jornalista Gilberto Dimenstein. A luta contra o câncer levou o fundador da Catraca Livre, mas sua determinação em construir uma comunidade mais igualitária, saudável e gentil, continua nesta página”, declara uma publicação no perfil do site nas redes sociais.

Loading...

Contudo, em uma rede social, o jornalista havia postado um vídeo no mês de abril, no qual afirmou que estava vivenciando o momento mais difícil de sua vida.

“Meu nome é Gilberto Dimenstein, sou fundador do Catraca Livre, sou presidente do Conselho da Orquestra Sinfônica Heliópolis, e vivo o momento mais difícil da minha vida. Estou há oito meses lutando contra um câncer de pâncreas que criou metástase. Estou lutando, ainda vou vencer, mas estou lutando”, contou.

Loading...

Mais sobre Gilberto Dimenstein

Morre, aos 63 anos, o jornalista e escritor Gilberto Dimenstein
Morre, aos 63 anos, o jornalista e escritor Gilberto Dimenstein – Foto: Uol

Gilberto Dimenstein formou-se em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero, na capital de São Paulo.

Assim como, no ano de 1994 conquistou o prêmio Jabuti de melhor livro de não ficção em decorrência do lançamento de “O Cidadão de Papel”. Obra, na qual o autor aponta o desrespeito aos direitos humanos em nossa sociedade.

Além disso, Dimenstein também escreveu as obras: “As Armadilhas do Poder – Bastidores da Imprensa” (1990), Meninas da Noite” (1992), “Democracia em Pedaços” (1996), “Quebra-Cabeça Brasil – Temas de Cidadania na História do Brasil” (2003) e “Aprendiz do Futuro – Cidadania Hoje e Amanhã” (2005) .

Atuou como colunista no jornal “Folha de S. Paulo”, bem como, comentarista na Rádio CBN, antes de dedicar-se exclusivamente ao seu projeto particular, o site Catraca Livre. O qual trata-se de uma plataforma multimídia de jornalismo que realiza divulgação de atividades culturais gratuitas em São Paulo. De acordo com informações do G1.

Loading...

Por fim, no decorrer da carreira como jornalista, realizou atividades laborativas também em outros veículos de comunicação, como “Jornal do Brasil”, “Correio Braziliense” e a revista “Veja”. Assim, tronou-se conhecido por defender os direitos nas áreas de educação e de meio-ambiente, onde atuava com projetos sociais.

Loading...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui