09 de Janeiro de 2020, atualizado ás 11:01

Motorista de uber é preso em Maceió por estupro à menor

Por: | Alagoas


Motorista de aplicativo Uber, de 26 anos, foi preso por suspeita de estupro à uma menor de 17 anos, em Jacarecica, Maceió.

SIGA => A FOLHA HOJE NO GOOGLE NEWS

Policiais da Divisão de Investigação e Capturas (Deic) e a Polícia Civil, efeituou a prisão do motorista de aplicativa após a denúncia do crime.

Segundo o delegado Fábio Costa o suspeito foi preso horas depois do crime.

De acordo com a polícia, a passageira solicitou a corrida da Pescaria para o Farol, onde seria o local de desembarque.

Motorista de uber é preso em Maceió por estupro à menor
(tnh1.com.br)

Durante um trecho da corrida o motorista percebeu que a adolescente estava embriagada e pediu para que a passageira fosse para o banco da frente.

Ele iniciou uma série de constrangimentos à vítima, a acariciou e então, parou o carro no acostamento e cometeu o crime.

A adolescente relatou que estava apavorada e que temia por sua vida durante todo o momento.

Veja Também:

+Tô de Rodas cria cadeira de rodas para cães deficientes
+Projeto de lei pretende internar mulheres ‘propensas’ a realizar aborto

O motorista confessou o crime à polícia e disse que cometeu o estupro porque a jovem estava embriagada e não ofereceria resistência.

Depois do momento de terror a adoslecente foi levada ao destino incial e ao chegar em casa contou aos pais, que acionaram a Polícia Civil e a levaram ao Hospital da Mulher.

O motorista de Uber foi preso no bairro do Antares quando dirigia o mesmo veículo utilizado no crime. Ele foi autuado por estupro de vulnerável com agravo de a vítima não apresentar resistência por estar embriagada.

A pena pode chegar á 15 anos de reclusão.

Em audiência de custódia realizada após o crime, o juiz George Leão de Omena, homologou o flagrante e decretou a prisão preventiva do suspeito.

Posicinamento da Uber

Em resposta ao ocorrido a empresa Uber mandou uma nota lamentando o crime e se colocando a disposição para auxiliar a investigação de qualquer motorista com conduta inadequada.

Em sua nota a empresa declara:

A Uber lamenta o crime terrível que foi cometido e se coloca à disposição para colaborar com autoridades no curso das investigações. A empresa repudia qualquer tipo de comportamento abusivo contra mulheres e acredita na importância de combater, coibir e denunciar casos de assédio e violência. A conta do motorista foi desativada assim que a empresa tomou conhecimento do episódio.

Todas as viagens com a plataforma são registradas por GPS. Isso permite que, em caso de necessidade, nossa equipe especializada possa dar suporte às autoridades, observada a legislação brasileira aplicável, compartilhando informações sobre motorista parceiro e o usuário, seus históricos e qual o trajeto realizado, além de acionar seguro que cobre despesas médicas em caso de incidentes.

Como parte do processo de cadastramento para utilizar o aplicativo da Uber, todos os motoristas passam por uma checagem de antecedentes criminais realizada por empresa especializada que, a partir dos documentos fornecidos pelo próprio motorista e com consentimento deste, consulta informações de diversos bancos de dados oficiais e públicos de todo o País em busca de apontamentos criminais, na forma da lei.”

Siga nas Redes Sociais:

Instagram: @afolhahoje;

Página do facebook: A Folha Hoje;




G M Rhaekyrion

Escritora de ficção e fantasia, colunista de site em entretenimento, moda, saúde, beleza e bem-estar. Bióloga por formação, pela Universidade Federal de Alagoas e, eventualmente, faço criticas narratológicas para escritores de ficção.

  

0 Comentários