30 de Janeiro de 2020, atualizado ás 11:01

MP do Rio de Janeiro fecha pastelaria que usava carne de cachorro em pastel

Por: | Notícias


O Ministério Público do Trabalho no Rio de Janeiro, após uma longa investigação, fechou mais uma pastelaria no Rio de Janeiro acusada de vender pastel com carne de cachorro para os clientes.

O estabelecimento fica localizado na Parada de Lucas, zona norte do Rio de Janeiro.

Segundo os investigadores, os cachorros eram mortos à pauladas e posteriormente ficavam congelados em caixa de isopor.

Em seguida, após a carne ser retirada, era servida como recheio para o pastel.

Essa não é a primeira vez que o local é denunciado. O dono do estabelecimento já cumpre pena no Complexo de Gericinó, também pelo uso de carne de cães na produção de pastéis.

Segundo o jornal O Globo, este tipo de prática é comum em lanchonetes chinesas espalhadas pela cidade, não só do Rio de Janeiro, mas de outras capitais do Brasil.

MP do Rio de Janeiro fecha pastelaria que usava carne de cachorro em pastel – Foto: Reprodução

Os animais vendidos eram recolhidos na cidade, e em depoimento, o dono chegou a admitir que sabia que o uso de carne de cachorro era proibido no Brasil.

Ou seja, a crueldade era tão grande, que até mesmo a Procuradora do Estado, que esteve no local acompanhando o fechamento da pastelaria, passou mal com as condições encontradas lá.

Isso por que, além do uso de carne de cachorro nos pasteis, o local era acusado de trabalho escravo.

Os trabalhadores vindos da China eram contratados para viver em condições desumanas.

Segundo a Procuradora, dentro da lanchonete, o trabalhador ficava encarcerado, convivendo com o cheiro dos cachorros mortos.

Portanto, com a chegada dos policiais, os trabalhadores chineses foram libertados e devem receber indenizações dos ex-patrões, após acordo feito com o Ministério Público do Trabalho.




Raquel Luciano

Jornalista com experiência na produção de conteúdo para diversos canais de informação espalhados pelo Brasil. E-mail: rachell.luciano@gmail.com

     

0 Comentários