Colombianos saem às ruas contra reforma tributária

Diante da forte rejeição popular, o governo de Duque não teve outra opção senão solicitar retirada da reforma tributária do Congresso

Por: Caroline Brito - Jornalista
04/05/2021 às 09:42 - atualizado em 04/05/2021 às 09:43

Compartilhe: faceboook twitter whatsapp
Manifestação na Colômbia. Imagem: Divulgação.

A Colômbia vive, nos últimos dias, a pior crise política e social do ano até o momento. O sexto dia de protestos populares, que aconteceu ontem (3), nas ruas contra a reforma tributária, deixaram o saldo de pelo menos 19 pessoas mortas e mais de 700 feridas.

Com o projeto da reforma tributária, o governo de Iván Duque desejava arrecadar 23,4 trilhões de pesos (cerca de US$ 6,3 bilhões) para melhorar o estado das finanças públicas e dar continuidade a programas sociais da gestão.

Porém, diante da forte rejeição popular, o governo de Duque não teve outra opção senão solicitar sua retirada do Congresso ontem (3), duas semanas depois de tê-la apresentado.

Segundo especialistas, a reforma tributária, que previa o aumento de impostos para a classe média, é importante para o país, mas não condiz com a atual conjuntura econômica de crise da Colômbia, que viu aumentar o número de pobres em mais de 3,6 milhões de pessoas com a pandemia de Covid-19.

Além da retirada da proposta, o ministro da fazenda Alberto Carrasquilla renunciou ao cargo. Carrasquilla será substituído pelo economista José Manuel Restreppo, atual titular da pasta do Comércio.

Dúvidas, critícas e sugestões? Fale com a gente
Acompanhe a Folha Hoje nas Redes! faceboook twitter youtube instagram Google News
Caroline Brito

Caroline Brito
Caroline Brito é jornalista, formada pela Universidade Federal do Ceará, em 2012, e mestra em Planejamento e Políticas Públicas pela UECE. Saiba mais sobre Caroline em seu perfil!