Inverno começa e meteorologia prevê chuvas prolongadas até o mês de setembro

Formação de nevoeiros e ventos com rajadas de até 40 km/h ocorrerão com maior frequência.

Por: Fredson Navarro - Jornalista
21/06/2021 às 15:00 - atualizado em 21/06/2021 às 15:18

Compartilhe: faceboook twitter whatsapp

Estação climática mais aguardada pelos nordestinos, sobretudo por aqueles que residem na Zona Rural e dela tiram a subsistência, o inverno de 2021 teve início a partir das 00h32 desta segunda-feira (21), e, apesar de algumas peculiaridades, não será muito diferente do ocorrido no ano passado.

De acordo com o meteorologista da Superintendência Especial de Recursos Hídricos e Meio Ambiente (Serhma), Overland Amaral, as chuvas predominam em todo o período da estação.

“O solstício de inverno neste ano chega com as condições de chuvas próprias e a presença de uma frente fria entre os dias 21 e 22, que se prolongará no decorrer da semana e assim ao longo dos meses até setembro, de forma frequente, mas intercalada entre os dias e as semanas. O nível das chuvas pode ficar acima da média, especialmente, nas regiões mais próximas ao Litoral e ao Agreste Central, onde essa oferta de chuva sempre é maior que nos outros territórios e, também, em locais mais elevados no Território do Alto Sertão Sergipano, onde existe uma maior condensação”, explica.

Overland Amaral destaca, ainda, que, por conta da queda na temperatura durante a estação, algumas particularidades não tão comuns no estado ocorrerão com uma frequência acentuada. “Os ventos serão mais intensos, com rajadas de até 40 km/h, especialmente no litoral. As temperaturas estarão mais baixas em toda a estação, principalmente nos Territórios Agreste Central, Alto Sertão e Centro Sul Sergipano. Por conta dos dias em que ocorrerá uma maior perda de calor da terra, haverá formação de nevoeiros em vários territórios, sendo que a presença desse fator climático contribuirá com uma maior incidência do orvalho favorecendo, assim, a cultura agrícola”, detalha.

Com a iminência da estação mais chuvosa do ano, o agricultor Marcos dos Santos Santana, do município de Indiaroba, no Território Sul Sergipano, já demonstra ansiedade pelas precipitações que ainda virão. “Estamos na expectativa pela chegada do inverno, ele é muito bom para nós e ficamos felizes com a chuva, pois ela nos ajuda muito, e, quando não chove sofremos com a seca e para conseguirmos colher alguma coisa é necessário ligar o sistema de irrigação, e muitos não têm”, revela.

Também residente no município limítrofe com o Estado da Bahia, a agricultora Andreia de Jesus possui 20 tarefas de terras em que cultiva produtos variados e tem no inverno o seu maior aliado. “Faço plantio de abacaxi, coco, macaxeira e milho, mas só no período de chuvas, pois no verão não há como, já que a terra aqui não tem energia e sistema de irrigação. Nós aqui plantamos durante o inverno para colhermos mais tarde”, frisa.

Ainda segundo o meteorologista, a agricultura será bastante favorecida durante a estação. “Além da frequência dos nevoeiros e dos solos mais aprofundados que absorveram e tiveram um bom acúmulo de água, a ocorrência das precipitações de forma constante contribuirá bastante para o desenvolvimento das culturas agrícolas em todo o estado, principalmente, no cultivo do milho”, ressalta.

Dúvidas, critícas e sugestões? Fale com a gente
Acompanhe a Folha Hoje nas Redes! faceboook twitter youtube instagram Google News

Fredson Navarro
Fredson Navarro é jornalista, formado em 2005 pela Universidade Tiradentes. Atua no mercado sergipano há mais de 15 anos. Saiba mais sobre Fredson em seu perfil!