Primeiro caso de gastrostomia percutânea guiada por tomografia é realizada em SE

Procedimento com tomografia computadorizada foi realizado pelo Hospital Primavera.

Por: Fredson Navarro - Jornalista
22/06/2021 às 10:05 - atualizado em 22/06/2021 às 10:05

Compartilhe: faceboook twitter whatsapp

Comprometidos com a saúde e bem-estar dos pacientes e sempre buscando inovação, mais uma vez os profissionais do Hospital Primavera realizaram procedimento de grande relevância para o Estado e pela primeira vez, o radiologista intervencionista Dr. Thiago Fabiano Souza de Carvalho, acompanhado do anestesista, Dr Maxsuel de Santana e a equipe de enfermagem do Centro de Imagem, concluiu com sucesso, a “Gastrostomia percutânea guiada por tomografia computadorizada”, indicada para pacientes com condições que não permitam realizar a gastrostomia convencional (endoscópica), sendo uma  alternativa à cirurgia. 

A gastrostomia é a implantação de uma sonda de alimentação passada ao estômago através da parede do abdome. Ela permite que alimentos, fluidos e medicamentos sejam colocados diretamente no estômago sem passar pela boca e esôfago, substituindo a sonda nasogástrica ou nasoenteral, um tubo de uso temporário introduzido no estômago ou intestino através do nariz.

É um procedimento seguro e minimamente invasivo indicado para os pacientes nos quais a via endoscópica (quando os dispositivos são introduzidos pela boca chegando ao estômago) não é possível, como por exemplo nos pacientes com tumores de cabeça e pescoço que estejam obstruindo esse percurso, nos portadores de trismo (quando a abertura da boca é prejudicada por alguma patologia) ou naqueles submetidos previamenre a cirurgia bariátrica em que a anatomia do estômago foi modificada, como foi o caso deste paciente.

Aplicada pela primeira vez no estado de Sergipe, esta técnica ajudou um paciente de 49 anos a ter uma melhor qualidade de vida por não mais necessitar da sonda introduzida pelo nariz.

“Neste paciente, que foi submetido a cirurgia bariátrica há anos, uma parte do estômago ficou isolada do restante do sistema digestivo sem comunicação direta com o esôfago (chamado de estômago excluso), que é inacessível pela endoscopia, mas que se comunica com o intestino e que pode ser utilizado para alimentação, desde que haja um meio de introduzir alimento dentro dele. Como este segmento do estômago ficou inutilizado após a cirurgia bariátrica, ele se manteve vazio no meio da barriga cercado por outros órgãos.

O desenvolvimento tecnológico dos aparelhos de imagem e dos materiais utilizados revolucionaram a medicina moderna e convida todos a conhecerem melhor a radiologia intervencionista, uma especialidade inovadora que realiza procedimentos minimamente invasivos, mas que ainda é pouco conhecida pela população”,explica Dr. Thiago Fabiano

Dúvidas, critícas e sugestões? Fale com a gente
Acompanhe a Folha Hoje nas Redes! faceboook twitter youtube instagram Google News

Fredson Navarro
Fredson Navarro é jornalista, formado em 2005 pela Universidade Tiradentes. Atua no mercado sergipano há mais de 15 anos. Saiba mais sobre Fredson em seu perfil!