Sergipe está entre os estados que menos facilitam abertura de empresas, diz Ministério da Economia

O menor estado do país vai na contramão e não colabora com a retomada da economia no momento em que estados estão reduzindo entraves a empresas.

Por: Fredson Navarro - Jornalista
15/09/2021 às 11:01 - atualizado em 15/09/2021 às 11:40

Compartilhe: faceboook twitter whatsapp

De acordo com dados que foram divulgados pelo Ministério da Economia, Sergipe está entre os estados que menos facilitam abertura de empresas. O menor estado do país vai na contramão e não colabora com a retomada da economia no momento em que estados estão reduzindo entraves a empresas.

Durante a pandemia, para facilitar a abertura e funcionamento de empresas consideradas de baixo risco como forma de desburocratizar o ambiente de negócios neste momento de retomada da economia, estados e municípios passaram a dispensar a exigência de alvarás e licenças para abertura e funcionamento de empresas consideradas de baixo risco como forma de desburocratizar o ambiente de negócios neste momento de retomada da economia.
Segundo o ranking feito pelo Ministério da Economia, Minas Gerais, Santa Catarina e Rio de Janeiro lideram a iniciativa que incentiva o empreendedorismo. As cidades menos burocráticas estão Serrinha e Santo Antônio de Jesus (Bahia) – e Venâncio Aires (Rio Grande do Sul).

São empresas que atuam em atividades classificadas como de baixo risco, que não oferecem perigo para a população. Entre elas estão bares, padarias, salões de beleza, lojas de roupa e borracharias.

No outro extremo, os Estados de Sergipe, São Pão Paulo, Paraná, Roraima e Espírito Santo dispensam menos atividades econômicas da burocracia.

De acordo com o Ministério da Economia, com a dispensa do alvará os empreendedores precisam apenas fazer o registro na Junta Comercial e tirar o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) da nova empresa. A partir daí, já podem começar a operar. Essa é uma política de simplificação da burocracia que dividiu as atividades em três graus de risco: baixo, médio e alto.

Para as pessoas que querem abrir um negócio, quanto mais simples e rápido, mais estímulo. Quando é muito demorada e complicada, as pessoas não vão abrir, ou pior, vão ficar na informalidade, sem pagar imposto.

O vereador Ricardo Marques protocolou na Câmara Municipal de Aracaju dois projetos que podem ajudar na geração de empregos e melhorar o ambiente econômico e social do nosso município. Um projeto versa sobre a declaração de liberdade econômica e um segundo dispõe sobre o Estatuto da Desburocratização que já foram aprovados nas cidades que aparecem em primeiro lugar na facilidade de abrir comércios e geração de empregos. Os dois projetos estão tramitando na Câmara Municipal de Aracaju e podem ser votados a qualquer instante.

Dúvidas, critícas e sugestões? Fale com a gente
Acompanhe a Folha Hoje nas Redes! faceboook twitter youtube instagram Google News

Fredson Navarro
Fredson Navarro é jornalista, formado em 2005 pela Universidade Tiradentes. Atua no mercado sergipano há mais de 15 anos. Saiba mais sobre Fredson em seu perfil!