Vereador Eduardo Lima reúne amigos e a família em mutirão para doação de sangue

Ao todo, 30 pessoas atenderam ao chamado e se dirigiram a unidade para fazer a doção.

Por: Fredson Navarro - Jornalista
04/06/2021 às 15:01 - atualizado em 04/06/2021 às 14:50

Compartilhe: faceboook twitter whatsapp

A ação foi realizada na manhã desta sexta-feira (4), e foi uma oportunidade para aumentar o estoque do Centro de Hemoterapia de Sergipe, o Hemose. O vereador Eduardo Lima (Republicanos) convocou amigos, familiares e algumas pessoas envolvidas em trabalho voluntário, a ideia foi levar aquelas aptas para doar sangue. Ao todo, 30 pessoas atenderam ao chamado e se dirigiram a unidade para fazer a doção.

“Me surpreendi com a quantidade de pessoas que veio. Isso é a prova que se cada pessoa mobilizar outras, consegue aumentar esse elo do bem”, comemorou o parlamentar. Eduardo destacou ainda o fato de este mês ser dedicado a doação de sangue e reforçou o apelo.

“Cada doação conta, é importante e faz diferença. Uma bolsa de sangue pode ajudar até 4 vidas e é por isso que estamos aqui”, pontuou. 

Segundo dados do sistema Hemovida, de janeiro a maio, o Hemose registrou 11.652 atendimentos e 9.039 doações de sangue, uma média de 84 doações por dia. A pesquisa aponta ainda que os homens são maioria entre os doadores, representando 61,2%% do total, contra 38,8 % das mulheres. Apesar dos números, os estoques da unidade estão em baixa. Em todo o mês passado, foram 1.662 doações. A média antes da pandemia era de 2.400 para o mês de maio. 

Nesta sexta-feira, o estoque do Hemose conta com apenas 250 bolsas de sangue. Segundo a gerente de captação da unidade, Rozeli Dantas, “ nesse ano de 2021 as pessoas ficaram com muito medo e por isso houve uma baixa nas doações. Temos muitos grupos parceiros, ainda assim há uma dificuldade grande. Reforçamos nossas campanhas com os doadores voluntários para manter o estoque”.  

Quem participou da ação, a convide do vereador Eduardo Lima, fala da satisfação em poder ajudar, é o caso do professor, Charlton Pedral: “É um ato solidário, de amor e humanidade. Sempre faço a doação voluntária. Venho de forma espontânea para ajudar”.

Carla Oliveira Lima, esposa do vereador mesmo sem poder fazer a doação de sangue sempre está junto nas ações. “A gente incentiva outras pessoas quando fazemos a nossa parte. E quando há divulgação, é uma forma de influenciar as pessoas a fazer uma boa ação também”. A assistente social, Rose de Jesus, doou sangue pela primeira vez e não escondeu a felicidade. “Há um misto de medo e felicidade. Medo da agulha e felicidade por saber que podemos ajudar”, afirmou. 

Qualquer pessoa, que tenha entre 16 e 69 anos, pese mais de 50 quilos e esteja em boas condições de saúde, pode doar sangue. Para fazer o procedimento, basta se dirigir a unidade do Hemose, apresentar documento oficial com foto e participar da triagem. Mais informações através dos telefones: (79) 3225-8000, 3225-8039 e 3259-3174.

Dúvidas, critícas e sugestões? Fale com a gente
Acompanhe a Folha Hoje nas Redes! faceboook twitter youtube instagram Google News
Fredson Navarro

Fredson Navarro
Fredson Navarro é jornalista, formado em 2005 pela Universidade Tiradentes. Atua no mercado sergipano há mais de 15 anos. Saiba mais sobre Fredson em seu perfil!