Quem optou por ser microempreendedor tem uma série de vantagens, inclusive pode contar com o Microcrédito, um importante recurso financeiro que pode ajudar o pequeno empresário na hora do sufoco ou até mesmo adiantar algum processo, por exemplo, a compra de equipamentos ou maquinários para a empresa.

Só que é preciso fazer uma minuciosa análise, já que o Microcrédito está disponível em várias versões, com parcelas, taxas de juros e valores diferentes. Outra questão que deve ser observada é em relação ao banco, já que cada um oferece vantagens para o cliente nesta hora.

O microempreendedor pode solicitar de R$ 100 a R$ 15 mil no microcrédito para MEI


RELACIONADAS



Quando for solicitado o dinheiro para a compra de mercadorias, geralmente é autorizado um menor valor, mas se o empréstimo for aplicado em melhora na infraestrutura, então é mais fácil conseguir uma quantia maior. Se for o primeiro empréstimo, dificilmente se conseguirá um valor mais alto, é preciso começar com uma quantia menor, pagá-la e depois solicitar um segundo empréstimo, que poderá ser maior.

Onde conseguir juros menores e opções de crédito para MEI

Para conseguir juros menores, as melhores opções são os bancos públicos, que oferecem condições especiais de pagamento para o MEI.

Algumas organizações sociais também realizam empréstimos para microempreendedores com taxas de juro mais em conta, é só consultar no site do Ministério do Trabalho.

Bancos que oferecem Microcrédito para MEI

Banco do Brasil: exige que o MEI seja cliente e também é preciso ter fiador. A taxa mensal de juro é de 3% e o valor a ser liberado irá depender de cada análise, que será feita por um profissional qualificado. No Microcrédito do Banco do Brasil, a documentação exigida para o empréstimo é a seguinte:

  • Certificado de Condição do Microempreendedor Individual (CCMEI) e/ou Certidão Simplificada da Junta Comercial.
  • Documentos pessoais do MEI (RG e CPF).
  • Comprovante de endereço residencial do Microempreendedor.
    CNPJ.

Microcrédito no Itaú: não exige que o MEI seja cliente do banco, mas é preciso ser microempreendedor há pelo menos 6 meses. A taxa de juro mensal é de 3,99% e ainda tem a Tarifa de Abertura para o Crédito.  A documentação exigida deverá ser a mesma dos bancos públicos.

Microcrédito no Santander: é preciso ser correntista do banco para solicitar o microcrédito e as taxas de juros variam de 2,4% a 4%, mas primeiro é feito uma análise de crédito. Em alguns estados o empréstimo é feito somente para um grupo de 3 ou 4 microempreendedores. A documentação exigida deverá ser a mesma dos bancos públicos.

Microcrédito no Bradesco: é preciso enviar um pedido para a agência e ficar aguardando o contato do gerente, que então fará uma consulta para ver se o empréstimo é viável. A documentação exigida deverá ser a mesma dos bancos públicos.

Microcrédito na Caixa Econômica Federal: é preciso ter conta na Caixa e o juro mensal é de 3,3% mais a Taxa de Abertura de Crédito que é de 3% do valor do contrato. É feita uma análise de crédito e em alguns casos exige-se um fiador.

  • Certificado de Condição do Microempreendedor Individual (CCMEI) e/ou Certidão Simplificada da Junta Comercial.
  • Documentos pessoais do MEI (RG e CPF).
  • Comprovante de endereço residencial do Microempreendedor.
  • Para disponibilização do empréstimo, além dos documentos entregues na abertura de conta, é solicitado o preenchimento da “Ficha de Cadastro Microempreendedor Individual“, sendo que o modelo é disponibilizado pela própria Caixa.

Para conseguir o Microcrédito, cada instituição financeira tem suas taxas, exigências e cada MEI tem suas necessidades, então a dica é analisar a proposta de cada um e ver qual melhor atende sua empresa.

Como funciona o Microcrédito

O Microcrédito e um programa social do Governo Federal, com o objetivo de atender a demanda de crédito de pequenos empreendedores, formalizados ou não, que não têm como oferecer garantias aos bancos, visto que o faturamento das MEI é de no máximo R$ 120 mil por ano.

No Microcrédito o dinheiro pode ser obtido rapidamente ou não, não há muitas garantias, devido a liberação estar condicionada a alguns exigência do programa de crédito, por exemplo, em alguns casos da concessão do crédito, o udo do dinheiro é assistida, ou seja, os agentes de crédito poderão fazer uma averiguação pessoal no empreendimento onde pretende investir o dinheiro.

No Microcrédito os donos de MEI normalmente não precisam comprovação de renda, porém devem apresentar algum imóvel como garantia, um fiador ou ser exigido até mesmo um grupo de fiadores solidários ( duas ou mais pessoas que se responsabilizarão pela dívida).

Apesar das facilidades, recomenda-se fazer uma consulta para ver se não tem nenhuma restrição de crédito, o microempresário não pode ter nenhuma restrição em órgãos como Cadin – Cadastro Informativo e créditos não quitados do setor público federal, SPC – Serviço de Proteção ao Crédito e Serasa – Centralizadora dos Serviços dos Bancos S/A.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui