Pai de Adolescente Morto em Protestos pede ajuda da Guarda Nacional!
orace Lorenzo Anderson é o pai do adolescente negro de 19 anos que foi morte em um protesto em uma área pequenas nas vizinhanças no Capitol de Seattle.
Juliana Seixas - 30 de Junho de 2020 às 22:09:07

Horace Lorenzo Anderson é o pai do adolescente negro de 19 anos que foi morte em um protesto em uma área pequenas nas vizinhanças no Capitol de Seattle. Ele se manifestou essa semana e exigindo que a cidade traga a Guarda Nacional para acabar com os protestos, que estão se tornando cada vez mais violentos.

O adolescente foi a primeira pessoa a ter a sua vida perdida no protesto durante um surto de violência armada dentro da ” zona autônoma”. Lembrando que os protestos já duram mais de três semanas.


RELACIONADAS



Além disso, após outro adolescente negro, de 16 anos, morrer e outro jovem, de 14 anos, ficar ferido o pai de Horace Lorenzo Anderson Jr. falou:

“Eu não tenho dormido. Você vê meus olhos. Eu tenho chorado e estou tentando não chorar na televisão. Isso não me parece mais um protesto. Parece que eles simplesmente assumiram o controle e disseram que podemos assumir o controle quando quisermos”. Declarou ele na conferência de imprensa nessa segunda-feira.

Antes de mais nada, desde a semana passada duas pessoas foram mortas e várias outras ficaram feridas pela violência armada. Embora, Jenny Durkan, prefeita de Seattle, tenha prometido encerrar as manifestações, que ocupam os bairros que incluem delegacias e o departamento de polícia, muitos acreditam que ela é solidária com a situação dos manifestantes.

Tragam a Guarda Nacional! Diz o Pai que perdeu o filho na Manifestação.
Pai de adolescente morto em protesto pede ajuda da Guarda Nacional!

Anderson, ao contrário, diz que, se a cidade não puder interromper o protesto sozinha, ás autoridades devem trazer a Guada Nacional, ele diz:

“Eles deveriam implantá-los aqui para dizer ‘cara, é hora de partir’; é hora de seguir em frente. E acabe com isso”.

Carman Beste, chefe de Seattle, que também se fez presente na conferência de imprensa, desafiou a prefeita a colaborar com a polícia para retirar a menifestação.

“Não vou deixar que os detratores, os pessimistas e os agitadores sejam a voz aqui! Há pessoas que moram aqui, existem várias pessoas que estão sendo feridas e precisamos fazer algo sobre isso. É absolutamente irresponsável que esse descontentamento continue”.

A prefeita da cidade fez um apelo aos manifestantes para que deixassem o Capitólio e prometeu ajudar com serviços sociais. Além disso, uma ação federal contra a cidade de Seattle alega que a cidade permitiu deliberadamente a manifestação de forma ilegal tomar tal forma.

Por fim, os manifestantes não têm planos para sair, mesmo após as lideranças tenham pedido para uma transição para o “ativismo virtual”. O departamento de obras públicas da cidade tentou remover as placas que marcavam as fronteiras, contudo, os manifestantes não deixaram.

VEJA TAMBÉM



Postado por: Juliana Seixas
Sou Engenheira de Materiais, professora de Inglês e Francês e escrevo para o site A Folha Hoje.