Inicio » Publieditorial » Cerveja Black Princess lança novo rótulo sazonal: Aryna Sour

Cerveja Black Princess lança novo rótulo sazonal: Aryna Sour

Cerveja é a primeira do Grupo Petrópolis no estilo Catharina Sour e tem açaí e cereja na receita diferenciada.

A Black Princess acaba de lançar a Aryna Sour, a primeira cerveja no estilo Catharina Sour da marca. Para abrasileirar ainda mais o estilo, o açaí é o ingrediente especial na receita da bebida. Aryna Sour é feita da junção do açaí e cereja, uma mística combinação do doce com azedo. A novidade entra para o portfólio da marca a partir de 1º de abril com venda exclusiva no e-commerce Bom de Beer (www.bomdebeer.com.br).

Garrafa de bebida

Descrição gerada automaticamente novo rótulo traz a cor rose e o sabor característico do açaí buscando impactar os consumidores. Sua graduação alcoólica é de 4,5% e 12 IBU. A temperatura ideal para consumi-la é por volta de 4°C a 8°C. É recomendado servir em cálices e copos do tipo flauta. É uma cerveja que harmoniza com peixes, saladas, queijos (brie, camembert, queijo de cabra, temperados com ervas), carnes, massas, castanhas, especiarias e frutas secas.

Esse modo de produzir tornou-se oficialmente o primeiro estilo de cerveja 100% brasileiro. Leva como características presença de frutas na composição, não faz uso de frutas secas, possui uma acidez moderada, utiliza bactérias lácteas e há presença de leveduras selvagens em sua fermentação.

“A Aryna Sour foi pensada para ter o gosto do Brasil. A Catharina Sour é a primeira cerveja brasileira a ser aceita pelo BJCP (Beer Judge Certification Program) e é um prazer colocar no mercado a nossa própria Catharina Sour. Mais um rótulo da Black Princess em que uma mulher é protagonista. Isso nos orgulha muito porque as mulheres entendem de sabor e qualidade”, pontua Diego Gomes, diretor Industrial do Grupo Petrópolis.

“Começamos a abrasileirar o gosto da cerveja quando criamos no Centro Cervejeiro da Serra, em 2019, a Black Princess Tião Bock, que traz rapadura entre os ingredientes”, conta Gomes. “Agora é a vez do açaí, trazido diretamente do Amazonas”.