Nesta terça-feira, 26 de maio, o Governador do Rio de Janeiro, Wilson Wiltzel realizou um pronunciamento no Palácio Laranjeiras, tendo em vista mais cedo foi algo de uma operação da Polícia Federal. O referido inquérito investiga desvios nos recursos da Saúde, incluindo a contratação da empresa responsável pela montagem dos hospitais de campanha.

“Quero manifestar minha absoluta indignação com o ato de violência que o estado democrático de direito sofreu. Eu tenho todo respeito ao ministro Benedito, mas a narrativa que foi levada ao ministro Benedito é fantasiosa. Não vão conseguir colocar em mim o rótulo da corrupção”.


RELACIONADAS



Portanto, o governador menciona o ministro Benedito Gonçalves, do Supremo Tribunal de Justiça – STJ, o qual é responsável pela autorização da busca. Assim, a operação denominada “Placebo” realizou o cumprimento de 12 mandados, incluindo a residência oficial de Witzel, bem como, a casa em que ele morava antes de ser eleito, no Grajaú.

Loading...

Além disso, o governador afirmou considera-se vítima de “perseguição política”, bem como, declarou que a situação ocorrida com ele pode repetir-se com outros  “governadores considerados inimigos” do governo federal. Portanto, Witzel interligou a operação realizada à uma suposta interferência do presidente Jair Bolsonaro na PF.

“A Polícia Federal deveria fazer o seu trabalho com a mesma celeridade que passou a fazer aqui no estado do Rio de Janeiro porque o presidente acredita que eu estou perseguindo a família dele e ele só tem essa alternativa de me perseguir politicamente”.

Loading...

O governador Wilson Witzel emitiu Nota sobre o assunto

"resultou em absolutamente nada" afirma witzel sobre busca da PF
“resultou em absolutamente nada” afirma witzel sobre busca da PF – Foto: O Globo

Confira a íntegra da Nota divulgada pelo governador Wilson Witzel, conforme disponibilizado pelo G1:

“Não há absolutamente nenhuma participação ou autoria minha em nenhum tipo de irregularidade nas questões que envolvem as denúncias apresentadas pelo Ministério Público Federal. Estranha-me e indigna-me sobremaneira o fato absolutamente claro de que deputados bolsonaristas tenham anunciado em redes sociais nos últimos dias uma operação da Polícia Federal direcionada a mim, o que demonstra limpidamente que houve vazamento, com a construção de uma narrativa que jamais se confirmará. A interferência anunciada pelo presidente da república está devidamente oficializada. Estou à disposição da Justiça, meus sigilos abertos e estou tranquilo sobre o desdobramento dos fatos. Sigo em alinhamento com a Justiça para que se apure rapidamente os fatos. Não abandonarei meus princípios e muito menos o Estado do Rio de Janeiro”, afirmou o governador em nota.

Loading...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui