Segundo estudo, uso de maconha por grávidas pode ocasionar autismo em bebês

De acordo com pesquisadores, um grande estudo realizado apontou que usar maconha durante a gravidez pode ampliar o risco de um bebê desenvolver autismo.
Joey Phillipe - 10 de Agosto de 2020 às 19:00:36
Looks like you have blocked notifications!

Após um longo estudo, pesquisadores descobriram que o uso de maconha durante a gravidez pode ampliar as chances de um bebê desenvolver autismo.

A autora do estudo, Dra. Darine El-Chaâr, especialista em medicina materno-fetal e pesquisadora clínica do Ottawa Hospital Research Institute, no Canadá, falou sobre a descoberta: “Mulheres que usaram cannabis durante a gravidez tinham 1,5 vezes mais probabilidade de ter um filho com autismo”.


RELACIONADAS



“Estas descobertas não são tranquilizadoras. Desencorajamos fortemente o uso de cannabis durante a gravidez e a amamentação”, afirmou.

Além disso, estudos anteriores já apontavam para a apresentação de outros problemas relacionados ao uso da maconha durante a gravidez, como a baixo peso ao nascer, impulsividade, hiperatividade, problemas de atenção e outros problemas cognitivos e comportamentais em crianças.

Assim como, outra pesquisa apontou que mulheres grávidas usuárias de maconha têm risco 2,3 vezes maior de natimortos. “Com base nisso, não estou muito surpreso com essas descobertas”, comentou El-Chaâr. “O desenvolvimento do cérebro fetal ocorre em todas as idades gestacionais.”

Mais detalhes sobre o estudo referente ao uso de Maconha
Segundo estudo, uso de maconha por grávidas pode ocasionar autismo em bebês – Foto: Maryjuana

Publicado nesta segunda-feira (10), na revista Nature, o estudo executou a revisão de dados referentes a cada nascimento em Ontário, Canadá, no período entre os anos 2007 e 2012, muito antes de a maconha recreativa ser legalizada no Canadá em 2017.

Entretanto, do meio milhão de mulheres cadastradas no banco de dados, os pesquisadores realizaram o estudo com um total de apenas 2.200 mulheres. As quais afirmaram ter usado apenas maconha durante a gravidez, sem misturá-la com tabaco, álcool ou opioides.

Além disso, vale destacar que não foi possível que o estudo capturasse a quantidade e o tipo de maconha que as mulheres usaram durante a gravidez. Assim como, a pesquisa também não soube a periodicidade durante a gravidez em que as mulheres o usaram. 

Contudo, apesar de ser possível o estudo apenas mostrar associação, não causa e efeito, os pesquisadores afirmaram que foi feito o possível para extinguir os fatores de confusão.

Por fim, segundo especialistas, mulheres que fazem uso de maconha e descubram estar grávida deve discutir imediatamente o assunto com seus médicos.

Segundo estudo, uso de maconha por grávidas pode ocasionar autismo em bebês – Foto: UOL Notícias

VEJA TAMBÉM



Postado por: Joey Phillipe
Sou redator, curto a área de informática, gosto de games e esportes.