Neste sábado, 02 de maio, o ex-ministro da justiça irá depor à Polícia Federal, no processo de investigação contra o presidente Jair Bolsonaro, por possível tentativa de interferência na Polícia Federal. Portanto, Sérgio Moro pretende revelar tudo o que esteve por trás dos 15 meses que trabalhou no Governo. 

De acordo com Guilherme Amado, em entrevista à revista época, Sério Moro afirma ter todo o histórico de conversas do seu WhatsApp gravado. Salientando que trata-se do antes e depois do ataque hacker que o ex-ministro sofreu no ano de 2019.


RELACIONADAS



Além disso, destaca que no referido histórico há áudios, links, conversas e imagens trocadas com o presidente da república, os quais foram organizados por ele mesmo de forma voluntária e serão apresentados a Polícia federal no dia de hoje.

Como ocorrerá o depoimento de Sérgio Moro

Sérgio Moro depõe hoje (02/05) sobre oposição a Bolsonaro
Sérgio Moro depõe hoje (02/05) sobre acusações a Bolsonaro – Foto: Carta Capital

De acordo com informações fornecidas por Bela Megale, o ex-ministro irá depor no final da manhã de hoje (sábado), em Curitiba. O mais provável é que o depoimento ocorra na Superintendência da Polícia Federal, na mesma cidade.

Além disso, quem deve ouvir Sérgio Moro serão dois delegados do Serviço de Inquéritos Especiais (Sinq), responsável pela investigação de pessoas que possuem foro privilegiado. Como é o caso do presidente Jair Bolsonaro.

Contudo, também irão participar da oitiva com Moro três procuradores, indicados pelo procurador-geral da República, Augusto Aras. Visando acompanhar todas os procedimentos desta investigação. A saber que são: João Paulo Lordelo Guimarães Tavares, Antonio Morimoto e Hebert Reis Mesquita.

Por fim, vale salientar que as indicações de Aras, ocorreram após entrevista de Sérgio Moro à revista Veja. Através da qual o procurador-geral irritou-se e assumiu a defesa do presidente da República.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui