Após visão de praias lotadas em Santos no último final de semana, prefeitos do litoral paulista temem que a situação volte a se repetir com a aproximação do feriado de Independência do Brasil, em dia 7 de Setembro.

Em tempos de pandemia, a preocupação com aglomerações em locais públicos se tornaram um dos principais problemas no combate ao avanço da COVID-19 no país.


RELACIONADAS



Em matéria publicada pela Agência Brasil, as prefeituras de Santos e São Vicente apresentaram um pedido durante reunião por videoconferência, solicitando a presença de policiais no litoral em meio ao feriado.

Prefeitos pedem ajuda do governo para conter multidões nas praias paulistanas

Prefeitos de São Paulo estão preocupados com praias lotadas durante o feriado de Independência - Foto: Alexsander Ferraz/A Tribuna Jornal
Prefeitos de São Paulo estão preocupados com praias lotadas durante o feriado de Independência – Foto: Alexsander Ferraz/A Tribuna Jornal

Além disso, os prefeitos de Bertioga, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe e Praia Grande também pedem o apoio em uma operação conjunta que disponibilize o suporte militar de outras regiões durante o período de feriado prolongado.

Em relação ao assunto, João Doria fez um alerta aos gestores municipais: “Fazemos aqui um apelo para que prefeitos e prefeitas de cidades do litoral ou que são destinos turísticos para que adotem medidas restritivas e contem com o apoio da Polícia Militar, desde que sejamos solicitados”, comentou.

Além disso, dados mostram que o Brasil já registrou 3.997.865 casos de coronavírus e contabiliza 123.780 óbitos relacionados a doença. Visto que, somente no estado de São Paulo são 826.331 casos e 30.673 mortes.

Apesar dos números, os últimos levantamentos mostraram que a taxa de ocupação das UTIs no estado caíram para 54%, um dos menores índices registrados desde o início da pandemia, cerca de 4.916 pacientes internados.

“É absolutamente imprudente que as pessoas utilizem esse feriado para fazer aglomerações”, diz Doria

Nesta quarta-feira (02), em coletiva do Governo do Estado de São Paulo, o secretário da Saúde, Jean Gorinchteyn, falou sobre a queda no número de casos relacionados a COVID-19 no estado, mas alertou que ainda não é hora para abandonar as medidas preventivas contra o vírus.

Alertou também sobre a vigilância que será intensificada a partir do próximo final de semana e será feita por cerca de 200 fiscais, principalmente nas áreas turísticas e litorâneas.

Ainda em coletiva, o governador de São Paulo, João Doria, repreendeu o desrespeito as medidas de segurança: “É absolutamente imprudente que as pessoas utilizem esse feriado para fazer aglomerações, seja nas praias, nas beira das praias, em praças, em parques, em casas, em clubes, ou em qualquer local. Não é um ato de responsabilidade com a sua vida e com a sua saúde atender aglomerações e, principalmente, não utilizar máscaras.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui