Suspensa a nomeação de Alexandre Ramagem para direção da PF
O ministro do STF, Alexandre de Morais, suspendeu a nomeação, publicada no Dário Oficial, de Alexandre Ramagem para a função de diretor-geral da PF.
Por: Joey Phillipe / 29 de Abril de 2020 às 13:08:59

[spns_amp_optin subscribe='Assistir Notícias Ao Vivo' unsubscribe='Remover inscrição']

Nesta quarta-feira, 29 de abril, o ministro Alexandre de Morais, do Supremo Tribunal Federal – STF, realizou a suspensão da nomeação de Alexandre Ramagem para o cargo de diretor-geral da Polícia Federal. No entanto, a decisão é provisória, e foi tomada em uma ação movida pelo PDT, segundo informações do G1.

Portanto, escreveu o ministro Alexandre de Moraes no despacho: “Defiro a medida liminar para suspender a eficácia do Decreto de 27/4/2020 (DOU de 28/4/2020, Seção 2, p. 1) no que se refere à nomeação e posse de Alexandre Ramagem Rodrigues para o cargo de Diretor-Geral da Polícia Federal”.

Contudo, Alexandre Ramagem havia sido escolhido por Jair Bolsonaro para chefiar a Polícia Federal, substituindo Maurício Valeixo. Em decorrência do excelente trabalho já desenvolvido a frente da ABIN. No entanto, o fato de ser amigo pessoal da família do presidente da República teve um reflexo negativo diante da nomeação.

Vale destacar que a demissão de Valeixo, ocasionou o pedido de demissão do ex-ministro da justiça Sérgio Moro. Que disseminou a acusação contra o presidente sobre a intenção de interferir politicamente na PF.

Entenda mais sobre a suspensão de Alexandre Ramagem
Suspensa a nomeação de Alexandre Ramagem para direção da PF – Foto: Guaiba


Para a suspensão de Ramagem, Alexandre de Morais referiu-se as acusações de Sérgio Moro. Bem como afirmou que existem indícios de desvio de finalidade na indicação de Alexandre Ramagem para a função. “…em inobservância aos princípios constitucionais da impessoalidade, da moralidade e do interesse público”, afirmou.

Além disso, Moraes destacou, na decisão, as declarações do ex-ministro da justiça de que Jair Bolsonaro aspirava “ter uma pessoa do contato pessoal dele” na Polícia Federal. “…que pudesse ligar, colher informações, colher relatórios de inteligência”.

Seguidamente, o Ministro do STF, declarou que o próprio presidente da República confirmou o interesse de receber informações na PF. Durante o pronunciamento realizado horas após a demissão de Sérgio Moro.

Segundo Moraes: “Essas alegações foram confirmadas, no mesmo dia, pelo próprio presidente da República também em entrevista coletiva. Ao afirmar que, por não possuir informações da Polícia Federal, precisaria ‘todo dia ter um relatório do que aconteceu, em especial nas últimas vinte e quatro horas”.

Por fim, esta não é a única vez em que o STF suspendeu uma nomeação do presidente. No ano de 2016, o ministro Gilmar Mendes bloqueou a ida de Lula para a Casa Civil, durante o governo de Dilma Roussef, a pedido do PPS.


Postado por: Joey Phillipe
Sou redator, curto a área de informática, gosto de games e esportes.

Load more

Notícias relacionadas

Receba nossas notícias NO CELULAR

Receba nossas NEWSLETTER

Futebol ao Vivo Receita Notícias Futebol ao Vivo