Tratamentos químicos para cabelo que devem ser evitados na gravidez
Quando o assunto é química no cabelo e gravidez, é quase unanime o pensamento: não pode usar! Mas você sabe quais deles são de fato prejudiciais ao feto?
Por: G M Rhaekyrion / 12 de Janeiro de 2020 às 20:20:53

Looks like you have blocked notifications!

Quando o assunto é química no cabelo e gravidez, é quase unanime o pensamento: não pode usar! Mas você sabe quais deles são de fato prejudiciais ao feto?

SIGA => A FOLHA HOJE NO GOOGLE NEWS

Sendo assim, trouxemos os tratamentos químicos para cabelo que devem ser evitados na gravidez, para que saiba exatamente quais deles são realmente prejudiciais.

Sabemos que é difícil para quem é descolorida, tingida ou usa algum tipo de progressiva ou relaxamento, deixar de lado esses tratamentos, mas existem meios de conseguir o mesmo resultado de forma natural.

Tratamentos químicos para cabelo que devem ser evitados na gravidez
(folhavitoria.com.br)

No momento da gravidez o cabelo muda muito e pode sofrer com os altos e baixos dos hormônios, porém, nem todas as mulheres sofrem são afetadas.

Isso porque o aumento de estrógeno, progesterona e demais hormônios pode causar uma reforçada na nutrição do cabelo, pelo aumento da circulação sanguínea na gravidez, mas também pode aumentar o ressecamento.

Vai depender muito de como você trata seu cabelo antes e se tem o hábito de manter seus fios cuidados.

Agora, para quem é adepta da química, venha conhecer os tratamentos proibidos.

Amônia

A amônia está presente nas tinturas permanentes, alisantes e outros produtos capilares para mulheres. Ela é altamente tóxica e, ao entrar em contato com o couro cabeludo, pode ser facilmente absorvida e causar danos ao bebê.

Ureia

Apesar de ser um dos ativos mais utilizados na composição de cosméticos, a ureia não pode ser usada por gestantes, seja em cremes para pele ou em produtos capilares.

Inclusive, ela está presente em uma lista de proibições durante a gestação, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), juntamente da cânfora e do chumbo.

Formaldeído

O famoso formol, trata-se de uma substância altamente tóxica, irritativa e cancerígena. O maior risco está na inalação dos gases expelidos e do contato com a pele no momento da aplicação.

Sendo assim, é perigoso tanto para quem aplica como para quem recebe o procedimento.

O formol pode causar problemas respiratórios e cardiovasculares. Ele também é responsável pelo baixo peso dos bebês ao nascer, má formação e outras anomalias.

Em grandes concentrações, causa irritação nos olhos e mucosas.



Dentre as consequências da exposição ao formol, temos sintomas como:

  • Dor de cabeça;
  • Vertigem;
  • Tosse;
  • Dermatite;
  • Falta de ar;
  • Ulcerações;
  • Rachaduras na pele;
  • Tumores.

Acetato de chumbo

O acetato de chumbo possui efeito cumulativo e está associado ao surgimento de alguns tumores cancerígenos como os linfomas.

Apesar de ser proibido no Brasil, infelizmente ainda pode ser encontrado em algumas colorações.

Veja Também:

+Finalização rápida para cabelo cacheado que garante volume e definição
+Dicas para manter a coloração do cabelo na gravidez

O que mais preocupa médicos e especialistas no assunto é a capacidade de contaminação do feto que essa substância possui, sobretudo durante a gestação e a amamentação.

Isso acontece porque o chumbo fica alojado nos ossos da mãe e posteriormente entra na corrente sanguínea. Outras consequências graves são: atraso mental e prejuízo das funções cognitivas.

Hidróxidos

Os hidróxidos de sódio, guanidina e lítio, estão presentes em diversos alisantes.

Seus componentes podem causar irritações e lacerações na pele.

Tendo em vista que a gravidez é uma fase de baixa imunidade, o contato com essas lesões pode evoluir para quadros mais graves.

Outros tipos de química proibidas na gravidez:
  • Propilenoglicol;
  • Conservantes Parabenos;
  • Benzofenonas e derivados da cânfora.

Essas substâncias podem estar presentes em shampoos, condicionadores e cremes ou máscaras para hidratação.

Sendo ou não uma gestante, esses componentes danificam o fio do cabelo, causando ressecamento, fragilidade e porosidade.

É sempre recomendado que use produtos capilares 100% liberados e que confira nos rótulos se eles contêm essas substâncias.

Espero ter ajudado!

Siga nas redes sociais

Instagram: @afolhahoje

Página do facebook: @afolhahoje

Grupo do facebook: A Folha Hoje – Beleza


Postado por: G M Rhaekyrion
Escritora de ficção e fantasia, colunista de site em entretenimento, moda, saúde, beleza e bem-estar. Bióloga por formação, pela Universidade Federal de Alagoas e, eventualmente, faço criticas narratológicas para escritores de ficção.

Load more

Notícias relacionadas

Receba nossas notícias NO CELULAR

Receba nossas NEWSLETTER

Futebol ao Vivo Receita Notícias Futebol ao Vivo